Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

Literatura ou posição: “tonteria in action” ou testemunho cristão?

O editor do sito americano Tradition in action (TIA), o brasileiro Atila Sinke Guimarães, tem uma obra extensa de análise que demonstra a pérfida ambigüidade nos documentos do Vaticano II.

Como em 1997 ambos publicávamos livros sobre esse assunto, embora não nos conhecemos pessoalmente, ele enviou-me seu trabalho, In the murky waters of Vatican II, acompanhado de uma gentil missiva, à qual respondi enviando também meu livro em italiano, L’eclisse del pensiero cattolico, e não sei bem se também o outro em francês, L’esprit désolant de Vatican II (Cf. https://promariana.wordpress.com/livros/). Em 1999, escreveu-me de novo para comunicar-me ter redigido um livreto de análise sobre as festividades do milênio, programadas pelo Vaticano.

Respondi esclarecendo a minha posição resistente diante de tudo o que provinha do ecumenista Vaticano conciliar. Mas fiquei sem resposta.

Nem por isto deixo de indicar a sua obra, que cito até no nosso recente livro «Segredo de Fátima ou perfídia em Roma», onde escrevo: “Os erros, ambiguidades e heresias contidas nos documentos do Vaticano II, são analisados e acusados há quase meio século. Só como magro exemplo, veja-se a Bibliografia deste livro. Um autor brasileiro nos EUA tem uma obra de onze volumes («In the Murky Waters of Vatican II and Animus Delendi»), documentando o que se demonstra espantosamente mais grave e extenso do que qualquer desvio herético do passado, devido à sua fonte, de aparente autoridade divina! Sob esse «engano terminal», não só alteraram, mas inverteram, como se constata com o modernismo, o sentido da Fé em todas as direções.”

Todos estes livros alertam contra o veneno destilado pelo Vaticano II.

Venhamos ao presente citando apenas o caso de dois valentes sacerdotes.

 

Os dois sacerdotes lado a lado: à esquerda Padre Basílio Méramo à sua direita Pe. Floriano Abrahamowicz

Os dois sacerdotes lado a lado: à esquerda Padre Basílio Méramo à sua direita Pe. Floriano Abrahamowicz

Trata-se na Itália do P. Floriano Abrahamowicz e na Colômbia do P. Basílio Méramo, ambos proveniente da Fraternidade sacerdotal S. Pio X, da qual foram expulsos de recente, devido às suas claras posições.

Padre Floriano a testemunhou queimando em público o livro do Vaticano II para exorcizá-lo. Padre Basílio, que conheço desde seu tempo de seminarista, há muitos anos escreve contra esses erros e heresias, na contestação de seus autores. No momento, suas cartas interpelando a posição de traição de mons. Fellay em relação às acusações do Arcebispo Lefebvre, são publicadas pela Rádio Cristandad (cf. http://radiocristiandad.wordpress.com/2010/11/08/mas-detalles-sobre-la-censura-a-mons-lefebvre-en-el-interior-de-la-fsspx/) e assim difundidas também pela TIA, mas com a seguinte apresentação de Sinke Guimarães:

Espero que o Padre Méramo, assim como o Padre Abrahamowicz, também expulso em fevereiro – não caian na tentação do sede-vacantismo, mas que lutem como cavalheiros andantes contra o progressismo onde quer que mostre sua cara dentro da Igreja. Resistência significa a não aceitação do erro, bem como a denúncia e oposição a todo ensino dos Papas conciliares, que são contrárias ao Magistério perene e às tradições da Igreja. Porém não mais que isto. Não temos autoridade para julgar a situação jurídica de um Papa que cai em heresia. Rezo a Nossa Senhora Sede da Sabedoria para ajudá-lo a seguir mantendo a posição correta nesta difícil encruzilhada de sua vida. Também oramos por todos os membros da Fraternidads São Pío X clero ou leigos que se enfrentam com tais perplexidades. (Cf. http://www.traditioninaction.org/HotTopics/f032ht_ExpulsionReply.htm)

Assumo esta como resposta tácita e o silêncio em relação também a mim e vou responder claramente para o bem do amigo.

No meio tempo, enviei esta ressalva ao interessado, Padre Basílio Méramo, que me responde breve:

Muchas gracias pero no sé quien es el tal Guimaraes, de todos modos siempre hay un tontito que quiere pontificar de sabio. Que Dios lo bendiga.

Literatura ou posição: tonteria in action ou testemunho cristão?

Não sou o melhor leitor do sito indicado, mas já mais de uma pessoa me indicou aqui na Europa que a posição do seu edidor – o outro brasileiro – deve ser perto da sua. Parece lógico, dizem, pelo que ele escreve.

No entanto vimos que não é assim. Na verdade está longe da recusa da falsa autoridade que passa por católica inoculando o veneno conciliar.

E ainda, quer que as vítimas rezem pelo envenenador oficial e presente porque há que «lutar» como cavaleiros (de triste memória) nessa igreja.

Isto implicaria a cafajestice de quem não beija a mão com o seringão dourado dos poderosos ocupantes do Vaticano.

Com isto Atila Sinke denota bem a sua ligação com a TFP (qual delas?) na sua pompa e circunstância distinta, que quer ser bem apresentada. Mas onde fica o testemunho cristão nessa farsa? Afinal os males não mais se resumem no hórrido comunismo. Há piores venenos numa falsa doutrina religiosa modernista, ecumenista e sinuosamente mundialista.

Sinke Guimarães sabe disto porque de há muito o denuncia e aqui está a perigosa incongruência anti católica: reconhece o veneno junto com a autoridade dos seus ministrantes coroados, que chama de «papas conciliares», mas sem recorrer ao que dita a Lei da Igreja sobre isto.

Pode a Autoridade católica ministrar veneno contra a Fé?

Havia que deixar a resposta a este erudito escritor, que já leu muito e estudou os erros, ambiguidades e heresias do Vaticano II, porque da posição de cavaleiros da Tradição deveria reconhecer o perigo e defender a Igreja de todo ataque externo e interno, ainda mais se acontece em suas cátedras ocupadas.

No entanto certos cavaleiros dum patético trapezionalismo se pronunciam … como se a Igreja, regida pelo Espírito de Deus, pudesse instituir uma disciplina não só inútil e mais gravosa do que pode pode suportar a liberdade cristã, mas também perigosa e nociva que leve à crendice e ao materialismo” (Papa Pio VI, Auctoren Fidei).

Se a verdadeira Igreja não pode errar diante do rigor jansenista, tanto menos do relativismo e do abjecto relaxamento modernista.

Quanto ao Concílio, falam… como se os eminentes Padres a quem Deus confiou a sua Igreja como pastores e doutores, pudessem, sobre um ponto de extrema importância no que tange a constituição da Igreja, ou cair todos em erro, ou tornar-se causa de erro para os fiéis” (Papa Pio VI, Super Soliditare Petrae).

Papa Pio VI

Papa Pio VI

De fato, é de fé que a Autoridade que representa Deus, o Papa católico, não pode servir aos fiéis veneno contra a Fé.

Aqui volta então a questão posta pelo cardeal Seper. Este, chamado em 1980 por João Paulo II para as pazes com mons. Lefebvre, na falsa base de “aceitar o Vaticano II à luz da Tradição”, disse que não era só isso. Havia que escolher entre duas opções ao dizer que o «Novus Ordo de Paulo VI» é protestantizante: – ou isto é falso porque tal rito é perfeitamente católico porque dado por um papa, – ou falso é esse papa! (veja-se o nº extra da revista francesa Itineraires: Mgr Lefebvre et le Vatican).

Pode o católico da Tradição, do «sim, sim, não, não», ficar no trapézio do balanço espiritual numa questão de extrema importância no que tange a vida da Igreja, e portanto a salvação das almas?

Pior ainda. Podem tais trapezistas acusar impunemente os que restam firmes na resposta que segue a Lei da Igreja, além da mais elementar lógica, isto é, da incompatibilidade absoluta entre a heresia e a jurisdição católica? Ora, os clérigos que organizaram um concílio para satisfazer as ideias iluministas e a operação ecumenista, já condenadas pela Igreja, se auto excluíram dela e, como explica São Roberto Bellarmino, não pode ser cabeça quem não pertence ao corpo eclesial, onde vige a unidade em uma só Fé. Todo esse juízo é feito em relação à Fé católica íntegra e pura.

Sabemos que no mundo da mentira, dá-se extrema importância a toda aparência de cavalheirismo e distinção para ser aceitáveis e bem vistos.

Esta não foi a preocupação do heróico Arcebispo Thuc que declarou a Sede vacante, pelas mesmas razões que são muitos a repetir, mas sem chegar à conclusão; oscilam no trapézio do que é aceitável para o gosto do mundo. Será que ele era pouco apresentável para o gosto dos nossos engravatados? Se isto acontece com quem luta pela verdade, como será diante do Juízo de quem é a Verdade, o Caminho e a Vida para os que se envergonham da única Igreja da Verdade que o mundo hostiliza?

Declaração Sede Vacante de Mons. Thuc

Declaração Sede Vacante de Mons. Thuc

Declaração Sede Vacante de Mons. Thuc

À diferença destes, dizemos que toda essa literatura é para a «posição» católica e não o contrário. Além disso, o espetáculo logo termina, e antes que venha a morte, o juízo, o inferno ou o Paraíso, ainda há uma grande prova: o que farão os traicionalistas e os trapezionalistas quando o seu «papa» for chamado ao Tribunal divino? Então todos reconheceremos que a Sede está vacante. Mas aceitarão os fundamentados críticos dos venenos do Vaticano II alguém que continue a ministrá-los em nome da Autoridade de Vigário de Jesus Cristo?

Parece claro que nisto seremos todos julgados, não à luz do que escrevemos com a nossa pobre ciência, mas de nossa fidelidade ou de nossas contradições diante da Fé. Por isto, repito: ninguém pense que tratando destes assuntos polêmicos se deixe de lado o amor pelo próximo na Comunhão dos Santos, que é a Igreja Católica. Bem ao contrário, estes são testemunhos procedentes da Fé íntegra e pura e convergentes ao amor pelas almas, conforme ensina a Igreja de Deus; ensinamentos que tiveram e têm muitos adversários religiosos espalhados num mundo de aparências.

Aqui escrevemos para quem tem fé e se empenha em defendê-la, e cremos que mesmo os trapezionalistas e até os traicionalistas preservam este dom inestimável; talvez até Judas conservou a fé para a sua desgraça.

A questão evangélica é sempre como ser fiel acima e mesmo contra toda aparência, e hoje o engano chegou a ter dimensões finais.

Rezemos para que cada vez mais haja católicos com pensamentos ligados à defesa da Igreja, sem fazer acepção de pessoas, mesmo de aparência angélica ou apostólica (Gal. 1, 5); se trata de mandato divino.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Novus Ordo Watch

Fátima e a Paixão da Igreja

Blondet & Friends

Il meglio di Maurizio Blondet unito alle sue raccomandazioni di lettura

AMOR DE LA VERDAD

que preserva de las seducciones del error” (II Tesal. II-10).

Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

Radio Spada

Radio Spada - Tagliente ma puntuale

Catholic Pictures

Handmaid of Hallowedground

Hallowedground

Traditional Catholic Visualism

Acies Ordinata

"Por fim, meu Imaculado Coração triunfará"

FORO CATÓLICO

Unidad en la Verdad

RADIO CRISTIANDAD

La Voz de la Tradición Católica

%d blogueiros gostam disto: