Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

Nossa Senhora Auxiliadora, ora pro nobis!

Nª Srª

A invocação a Maria Auxiliadora tem raízes no ano 1571, quando os Otomanos depois de conquistar várias ilhas do Mediterrâneo, estenderam o plano de expansão à Europa.

Foi então que o Papa São Pio V, solicitou os chefes das nações cristãs a unirem-se para organizar uma esquadra que defendesse o continente cristão do poder maometano.

Para esta defesa do Catolicismo o principal era invocar o auxílio de Nossa Senhora. E assim foi, apesar da disparidade de forças navais, a vitória aconteceu no dia 7 de outubro de 1571.

Afastada a ameaça muçulmana, o Pontífice quis que todo o mundo católico demonstrasse para sempre a sua gratidão à Virgem Maria, acrescentando nas populares ladainhas de Loreto a invocação: Auxiliadora dos Cristãos, ora pro nobis.

Quanto à festa em honra de Nossa Senhora Auxiliadora, esta foi oficialmente instituída em 1816, pelo Papa Pio VII, a fim de perpetuar mais um evento que atesta a intercessão da Santa Mãe de Deus nos tempos revolucionários de Napoleão I.

De fato este imperador empenhou suas forças na conquista de toda Europa sem excluir o Norte da Itália, Veneza e os Estados pontifícios, onde reinava então o Papa Pio VI.

O Pontífice fez então uma súplica à Mãe de Deus para que protegesse os cristãos. Naquela ocasião, era o ano 1796, esse auxílio foi concedido em modo extraordinário. “Nunca na história da Igreja, algo semelhante havia acontecido”. Essa a afirmação ousada – mas justificada – por historiadores que lidam com acontecimentos estranhos do livro de que vamos falar e que é dedicado a tal evento. Enquanto os ferozes saqueadores de Bonaparte invadiram os Estados Pontifícios, em Roma, a partir de 9 de julho de 1796, mais de uma centena de imagens (principalmente marianas) se “animaram” com expressões emocionadas, ou então, com os olhos que mudavam de cor, e às vezes de expressão. O fenômeno começou pouco antes de Ancona e foi testemunhada pelo próprio Napoleão, que ficou impressionado. Mas na capital, houve uma verdadeira “explosão”, que durou meses, sob os olhos de duzentos mil habitantes, incluindo não católicos, sem nenhuma voz discordante. Mesmo as autoridades religiosas – receosas de irritar os invasores – foram “forçadas” a abrir um processo rigoroso, onde desfilaram dezenas e dezenas de testemunhas juramentadas, alguns deles homens de ciência. No julgamento final, não foi possível hesitar: Maria tinha realmente demonstrado sua vontade de reforçar os ânimos para a proteção da cidade ameaçada. Foi assim que ficou inserida na liturgia, a “festa dos milagres da Virgem Maria.”

Se a lembrança dessa festa ainda é comemorada, a história, mesmo se autenticamente católica desses fatos incríveis, parece perder-se a memória, liquidados apressadamente como uma psicose coletiva. Rino Camilleri foi o autor contemporâneo que reconstruiu com objetividade e seriedade, a série de tais acontecimentos misteriosos e inéditos. Depois, confrontado a sua veracidade e seu significado com Vittorio Messori, o conhecido escritor, escreveram em conjunto este livro intitulado «Gli occhi di Maria» (Rizzoli), onde também tratam do calendário e do sentido dos milagres marianos em toda a Itália e no mundo, a partir do que acontecera em Roma no mês de julho de 1796.

Tudo parece escrito segundo um plano providencial, que porém não evitou a tomada da Cidade Santa e do sequestro do Papa Pio VI, que foi levado para a França onde morreu.

Napoleão foi excomungado pelo Sumo Pontífice Pio VII, sucessor de Pio VI. Em resposta, o imperador francês seqüestrou também este Vigário de Cristo, levando-o para Paris, onde permaneceu prisioneiro durante anos e teve que assistir à auto-coroação de Bonaparte. Mas sempre movido por fé ardente na vitória do bem e da Igreja, Pio VII recorreu à intercessão de Maria Santíssima, com a promessa de coroar solenemente a imagem de Nossa Senhora apenas fosse libertado. Quando Napoleão cedeu à pressão perante o mundo de sua responsabilidade nesse sacrilégio, e libertou o Papa, Pio VII voltou a Savona para cumprir a sua promessa. No dia 24 de maio de 1814, entrou solenemente em Roma, recuperando o seu poder sobre os bens da Igreja, que foram restituídos. Consta que Napoleão acabou por assinar a sua abdicação no mesmo palácio onde aprisionara o Pontífice.

Para que fosse lembrado o agradecimento à Santa Mãe de Deus, o Papa Pio VII criou a festa de Nossa Senhora Auxiliadora, fixando-a no dia de sua volta solene a Roma.

Dom Bosco, grande apóstolo da juventude, iria mais tarde adotar esta invocação para a sua Congregação Salesiana, uma vez que também esta viveu numa época de lutas com o poder civil. A fundação de sua família religiosa, que difunde pelo mundo o amor a Nossa Senhora Auxiliadora, deu-se sob o ministério do Conde Cavour, no auge dos ódios políticos e religiosos que culminaram na queda de Roma e destruição do poder temporal da Igreja. Nossa Senhora foi colocada à frente da obra educacional de Dom Bosco para defendê-la em todas as dificuldades.

No ano de 1862, as aparições de Maria Auxiliadora na cidade de Spoleto marcam um despertar mariano na piedade popular italiana. Nesse mesmo ano, São João Bosco iniciou a construção, em Turim, de um santuário, que foi dedicado a Nossa Senhora, Auxílio dos Cristãos.

Dom Bosco ensinou aos membros da família Salesiana a amarem Nossa Senhora, invocando-a com o título de AUXILIADORA. Pode-se afirmar que a invocação de Maria como título de Auxiliadora teve um impulso enorme com Dom Bosco. Ficou tão conhecido o amor do Santo pela Virgem Auxiliadora a ponto de Ela ser conhecida também como a “Virgem de Dom Bosco”. Escreveu Dom Bosco: “A festa de Maria Auxiliadora deve ser o prelúdio da festa eterna que deveremos celebrar todos juntos um dia no Paraíso”.
A Santíssima Virgem Maria foi constituída Auxiliadora dos Cristãos por inefável desígnio de Deus. Assim, nos momentos mais atribulados na vida da Cristandade e da Igreja, nós a temos como Senhora e Protetora e Ela apareceu em Roma, em Paris, na montanha de La Salette, em Lurdes e em Fátima, só para citar os momentos mais importantes de Seu auxílio no reforço da fé dos filhos da Igreja Católica.

Por isto, também nesta hora mais crucial para a vida da santa Madre Igreja, devemos continuar a pedir-lhe: Dignai-vos mostrar o Vosso auxílio poderoso para o nosso tempo tenebroso. Preservai os vossos filhos de todo perigo contra a pureza e integridade da Fé, porque só nela se agrada a Deus e se encontra a salvação.

 

Uma resposta para “Nossa Senhora Auxiliadora, ora pro nobis!

  1. Solange Ribeiro maio 24, 2013 às 8:07 pm

    Dignai-vos mostrar o Vosso auxílio poderoso para o nosso tempo tenebroso. Preservai os vossos filhos de todo perigo contra a pureza e integridade da Fé, porque só nela se agrada a Deus e se encontra a salvação.

    A Vós Mãe da Madre Igreja, defendei-nos do enganos, abençoai o Rallye Mariano e sus sacerdotes nessa festividade de oração, cada um dos seus consagrados e escravos na liberdade de vos amrar e venerar-te para sermos totalmente de Nosso Senhor Jesus Ó Senhora Auxiliadora, auxiliai-me no caminho de discernimento e na vocação, correspondendo a Deus e sendo fiel até meu último dia de vida. Guardai-me e prosperai-me na santidade e na alegria ao chamado, confiando na sua poderosa proteção e intercessão e na volta dos meus famíliares para a Igreja Católica Apostólica Romana e que Gilberto da Paixão Ribeiro, Denise Ribeiro Lopes possa por vós o Minha Senhora retornar a casa de onde um dia sairam. Peço a Jesus por eles e por todos os outros famíliares a fidelidade e o amor verdadeiro. Afastando todo ódio, falta de perdão. Vigiai-nos por suas bençãos e fazei que cada um de nós viva e arrependidos das faltas sejam salvos e perdoados por Deus. E as almas do purgatório, pela conversão do mundo e a paz. Apresento todos os sacerdotes que me acompanham, Religiosas e Religiosos que precisam de voltar ao primeiro amor de Deus. Retome os casais esposas e maridos e filhos ao exemplo de família. Salve a Juventude do mal e de se perderem nos pecados e vícios. Ao Marcelo eu vos peço dai a ele a o documento e fim do processo no tribunal eclesial. Ao Emersom peço a cura completa e o retorno da voz, agindo no sistema neorológico, E aos governantes, a decisão de fazer pelos necessitados o que é dever dos governantes. Ao meu pai Isael Ribeiro Lopes peço a cura desse tumor, livrando do sofrimento. E todos membros do Movimento Aliança de Misericórdia na pessoa dos coofundadores Pe. João Henrique, Pe. Antonello e todos os padres como Pe. Estêvão Rodrigues sejam sinais de bençãos e de graças. Vivendo todos os padres do movimento a fidelidade a Deus e sempre com o auxilio de Nossa Senhor. Confio o Senhora Auxiliadora a vida do Papa Francisco e sua missão como Pastor e Voz de Deus para a Igreja. Dá-nos um coração com a sua ternura e fidelidade constante, vida de oração, no amor e na misericórdia de Cristo Jesus. Ajuda-nos e envia-me os meios de sobrevivência e honrrando todos os compromissos diários. Por vosso Materno Amor auxilia-nos a viver obediente. E a minha vocação segundo o Coração de Seu Filho Jesus e nesse ano de 2013, venha confirme no meu caminho e a decisão clara do Espírito Santo a uma vida de leiga ou total para Cristo. O que devo fazer, sozinha não tenho dado passos. Não me deixe terminar minha vida sem corresponder os desígmps que fui chamada por Deus. Mas que nessa vocação permita-me ser feliz e ser fiel. Tudo o que quero é a certeza, a confirmação e viver minha vocação. Não deixeis que meu coração viva separado do amor, não deixe essas dúvidas me causar inquietação e coloca em mim a serenidade e o amor ó Madona Nossa. Assim como fizera na vida de tantos nas guerras e nas lutas de cada dia, faça por mim. Eu preciso, e quero ó Mãe e Senhora ainda nesse dia 24/maio/2013 ser por Vós auxiliada e meu coração nunca mais duvidar da vontade de Deus para mim em todas as minhas necessidades. Pedes ó Minha Senhora Auxiliadora o que tenho como ofertar com amor e com total abandono. Só por amor… Só por amor a Jesus e Senhor Nosso. Amém
    Solange

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

AMOR DE LA VERDAD

que preserva de las seducciones del error” (II Tesal. II-10).

Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

Radio Spada

Radio Spada - Tagliente ma puntuale

Catholic Pictures

Handmaid of Hallowedground

Hallowedground

Traditional Catholic Visualism

Acies Ordinata

"Por fim, meu Imaculado Coração triunfará"

RADIO CRISTIANDAD

La Voz de la Tradición Católica

%d blogueiros gostam disto: