Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

VIVER CORAJOSA E VIGOROSAMENTE DE PRINCÍPIOS PELA VERDADE ATÉ AO MARTÍRIO

Maria Imaculada

Alberto Carlos Rosa Ferreira das Neves Cabral

Ensina-nos Deus no Livro da Sabedoria:

«Desejei a inteligência, e foi-me dada; invoquei o Senhor, e recebi o Espírito de Sabedoria; preferi-a aos reinos e aos tronos, e julguei que as riquezas nada valiam em sua comparação. Nem coloquei em paralelo S.Luiscom ela as pedras preciosas, porque todo o ouro, em sua comparação é como que um pouco de areia, e a prata deve ser considerada lodo, à sua vista. Amei-a mais do que a saúde e a beleza, e resolvi-me a tê-la por luz, porque a sua claridade é inextinguível. Todos os bens me vieram juntamente com ela, e recebi de suas mãos inumeráveis riquezas. Regozijei-me em todas as coisas, porque ia à frente de mim esta sabedoria, apesar de eu ignorar que ela é a mãe de todos os bens. Aprendi-a sem preconceitos, e reparto-a com os outros sem inveja, a ninguém ocultando as suas riquezas. Porque ela é um tesoiro infinito para os homens, e os que lhe obedecem entram na amizade de Deus, pois estão recomendados pelos benefícios dos seus ensinamentos.» SAB, 7, 7-14

A vida dos santos sempre constituiu poderoso factor de edificação natural e sobrenatural. Os santos são obras-primas da Graça Divina. Um só acréscimo de Graça Santificante na alma fiel vale infinitamente mais que todo o Universo natural. Quem medita nisso? A VIDA DO SANTO É NECESSÀRIAMENTE, PODEROSAMENTE, OBJECTIVA!

A História da Filosofia demonstra-nos que, apesar de todos os seus erros, os filósofos, cristãos ou não, sempre possuíram certa consciência duma ordem objectiva, universal, necessária; mesmo os idealistas não puderam furtar-se a tal, embora errando na constituição da acto metafísico último de tal ordem.

Sòmente a Fé Católica nos faculta um magistério fundamentado, claro e INFALÍVEL, da soberania da razão objectiva dos seres e dos fins.

Efectivamente só a Santa Madre Igreja é depositária e guardiã da Revelação Sobrenatural, bem como das verdades filosóficas necessárias à sustentação da mesma Fé, das quais é também juiz infalível. Só a Fé Católica nos pode ministrar o AMOR INFRANGÍVEL PELA VERDADE- ATÉ AO MARTÍRIO.

Em todas as épocas e em todos os lugares a massa humana viveu sempre, mais ou menos tendencialmente, do MIMETISMO NOMINALISTA DE FACHADA SOCIAL, ou seja, copiam com automatismo psíquico a representação momentaneamente mais forte. Santo Inácio de Loiola tem um texto onde afirma claramente como na Espanha do século XVI muitos iam à Santa Missa exactamente no mesmo espírito com que iam caçar pescar ou pecar. ORA UM TAL ESPÍRITO É INTRÌNSECAMENTE INCOMPATÍVEL COM A FÉ TEOLOGAL SOBRENATURAL, EM VIRTUDE HABITUAL OU EM ACTO.

E não verificamos nós também que, hoje como ontem, a maioria das pessoas vai a Fátima como vai à bruxa, ou então como objecto turístico. Infelizmente o grande motor da chamada religiosidade popular foi sempre a mais negra superstição.

Evidentemente que a situação se deteriorou ainda mais nos últimos 50 anos, mas já existia antes com elevada magnitude.

Note-se bem que a chamada “fé do carvoeiro” pode ser a fé dum grande santo. Nosso Senhor Jesus Cristo não nos vai julgar pelas nossas letras humanas, NEM PELA NOSSA INTELIGÊNCIA NATURAL, mas SIM, EXCLUSIVAMENTE, PELA NOSSA CARIDADE SOBRENATURAL.

As letras humanas podem, sem dúvida, em certos casos, auxiliar-nos EXTRÌNSECAMENTE a melhor acolhermos a Graça Sobrenatural, no quadro global do Mistério da Predestinação, o qual integra hieràrquicamente também realidades naturais – TODAVIA O CHAMAMENTO É FORMALMENTE SOBRENATURAL.

Sabemos que Monsenhor Lefebvre aos 20 anos era liberal. Ele próprio o declarou em Conferência aos seus Seminaristas; possuía uma concepção liberal do Direito Público eclesiástico. A sageza intelectual e moral do Padre Le Floch, director do Seminário Francês em Roma, desenvolveu uma acção imensamente fecunda no jovem Lefebvre, bem como nos outros jovens Seminaristas, empolgando-os com o aforismo: VIVER CORAJOSA E VIGOROSAMENTE DE PRINCÍPIOS.

Efectivamente o que é a Fé?

A Fé é um PRINCÍPIO SOBRENATURAL REVELADO, O QUAL FORMADO NA CARIDADE E NA GRAÇA SANTIFICANTE, BEM COMO NOS DONS DO ESPÍRITO SANTO, NOS PROPORCIONA UM ORGANISMO SOBRENATURAL, PERANTE O QUAL ESTA NOSSA VIDA TERRENA É SÓ PÓ E CINZAS.

Existiram homens que num plano estritamente natural operaram heròicamente – Sócrates, o filósofo, por exemplo. Ou Aristóteles. Antes de Nosso Senhor Jesus Cristo mesmo aqueles que viviam materialmente no paganismo tinham de possuir a Graça Santificante para se salvarem, porque o nosso destino Sobrenatural é gratuito da parte de Deus, mas estritamente obrigatório da parte do homem; mas não parece de modo nenhum que tais filósofos tenham vislumbrado os dons sobrenaturais. No entanto terão elevado os princípios racionais e ético naturais o mais que era possível.

Então e nós que dispomos de bens Sobrenaturais essencialmente mais ricos – pois somos homens do Novo Testamento – como é possível que nos deixemos enganar por um bando de palhaços ateus e agnósticos que transformaram a Religião numa farsa horrível, num autêntico espectáculo de demónios que nos querem arrastar para o Inferno? Que princípios possuímos então?

Por detrás de tantas ruínas é contudo visível a ORDEM OBJECTIVA; QUANTO MAIS A QUEREM NEGAR MAIS ESSA ORDEM APARECE: O SER NÃO PODE SER NEGADO. Podem-se negar essências e realidades particulares, MAS O SER NÃO.

Ser é não apenas aquilo que É, mas  aquilo que não pode não ser.

Deus bendito É A CONCRETIZAÇÃO PESSOAL do conceito Metafísico mais abstracto de ser.

É impossível que a cegueira intelectual e moral triunfe em definitivo. A VITÓRIA PERTENCE AO BEM.

Para isso os defensores da Santa Fé têm, imperiosamente, de pensar e agir OBJECTIVA E HIERÀRQUICAMENTE; é absolutamente necessário proscrever todo e qualquer sentimento subjectivo, toda e qualquer palpitação menos sobrenatural.

Quando lemos São Tomás de Aquino é impressionante aquilatar como ele nunca diz: eu penso, eu não penso, etc. Não. São Tomás apenas produz asserções deste tipo: ISTO É, ISTO NÃO É. Na realidade São Tomás constitui o modelo permanente e imarcescível de VERDADE OBJECTIVA E HIERÁRQUICA EM SI MESMA.

Os santos constituíram os grandes baluartes da recusa inconcussa de qualquer subjectividade, pois que esta contamina necessàriamente a intangibilidade do supremo princípio que eles serviam – A SACROSSANTA FÉ CATÓLICA.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

Lisboa, 17 de Junho de 2013

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

AMOR DE LA VERDAD

que preserva de las seducciones del error” (II Tesal. II-10).

Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

Radio Spada

Radio Spada - Tagliente ma puntuale

Catholic Pictures

Handmaid of Hallowedground

Hallowedground

Traditional Catholic Visualism

Acies Ordinata

"Por fim, meu Imaculado Coração triunfará"

RADIO CRISTIANDAD

La Voz de la Tradición Católica

%d blogueiros gostam disto: