Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

A REVOLUÇÃO DO ÓDIO CONTRA O AMOR NO SINAL DE FÁTIMA

Valinhos

Arai Daniele

Monumento de Valinhos, no lugar em que Maria SS. apareceu em agosto de 1917, neste mês de Maio foi pichado (emporcalhado, emporcado, imbrattato, sali, smeared) com palavras blasfemas numa língua caótica.

O católico que crê na intervenção da Providência divina na vida da humanidade, crê também nos seus sinais, reconhecidos pela Santa Sé, e na sua “oportunidade” temporal. Isto porque o Céu intervém em modo velado, em vista da liberdade humana de aceitar ou não a Verdade, mas sempre no momento justo.

De fato, em 1917, quando o mundo moderno foi envolvido por guerras catastróficas e a nefasta revolução comunista, gerando milhões de vítimas e demolindo a Cristandade, naquelas condições terríveis, a Providência divina suscitou um milagre inigualável. Este era o sinal para que a Igreja recorresse à ajuda extraordinária que podia mudar o curso aniquilador a que ideologias falazes conduziram os povos.

O papa era Bento XV e tal “tempestividade” se manifestou nas “coincidências providenciais”, da qual a história das Aparições de Fátima é repleta do início ao fim. Senão vejamos. Logo a primeira aparição de Nossa Senhora, no dia 13 de maio, demonstrou ser a resposta às especiais orações da Igreja, ordenadas oficialmente pelo Papa desde o dia 5 de maio a fim de que todos os bispos do mundo convocassem os povos à oração pela Paz: Regina Pacis ora pro nobis!

Assim, no evento milagroso que seguiu, havia todos os termos de resposta divina ao pedido da Igreja por meio do Papa à Nossa Senhora aparecida em Fátima. Todavia, à tempestividade da oferta divina de ajuda, entendida pelo povo, estranhamente não correspondeu a atenção da hierarquia eclesiástica. Era um sinal no sinal, que marcaria a história cristã destes últimos tempos, E Fátima se tornou o evento sobrenatural, ao mesmo tempo mais assombroso, incompreendido e manipulado de sempre.

Foi assim que hoje, a fé da intervenção divina na vida humana passou a ser considerada mitológica até nos ambientes pios e clericais. E como o católico para entender toda crise se volta para a Sede de Roma, a ela se deve dirigir nossa atenção. Em 1958 lá morria Pio XII, o Papa de Fátima, e seu lugar foi ocupado por João 23, que lera a terceira parte do «segredo divino» indicadora da desgraça que minaria desde então a ordem do mundo.

Era, chamado o “papa bom”, que aceitava de público a origem divina da profecia de Fátima, mas fora envolvido na idéia de um concílio para a paz e a fraternidade universal na terra: o Vaticano 2º, «sinal dos tempos»! Mandou assim arquivar a profecia, porque depois declarou aborrecer profecias de desgraças, quando com o Vaticano 2º sagrava a era iluminista, que vislumbrava com otimismo. Assim surgiu a nefasta “igreja conciliar”.

Passados quarenta anos, o «segredo profético» foi desarquivado. Vale a pena sempre reler com o cuidado que merece o “possível texto” da “visão providencial” publicada do Segredo no ano 2000 pelo Vaticano atual, pois trata-se da desgraça mais clara em 1960:

“Depois das duas partes que já expus, vimos ao lado de Nossa Senhora um pouco mais alto um Anjo com uma espada de fôgo em a mão esquerda, ao centílar, despedia chamas que parecia iam incendiar o mundo, mas apagavam-se com o contacto do brílho que da mão direita expedia Nossa Senhora ao seu encontro O anjo apontado com a mão direita para a terra, com voz forte disse: Penitência, Penitência, Penitência!

E vimos numa luz emensa que é Deus ‑ “algo semelhante a como se vêm as pessoas num espelho quando lhe passam por diante” um Bispo vestído de Branco “tivemos o pressentimento de que era o Santo Padre”. Vários outros Bíspos, Sacerdotes, religiosos e religiosas subir uma escabrosa montanha, no címo da qual estava uma grande Cruz de troncos toscos como se fôra de sobreiro com casca; o Santo Padre, antes de chegar aí, atravessou uma grande cidade meia em ruínas, e meio trémulo com andar vacilante, acabrunhado de dôr e pena, ia orando pelas almas dos cadáveres que encontrava pelo caminho; chegado ao címo do monte, prostrado de juelhos aos pés da grande Cniz foi morto por um grupo de soldados que lhe dispararam varios tiros e setas, e assim mesmo foram morrendo uns atrás outros os Bispos Sacerdotes, religiosos e religiosas e varias pessoas seculares, cavalheiros e senhoras de varias classes e posições. Sob os dois braços da Cruz estavam dois Anjos cada um com um regador de cristal em a mão, neles recolhiam o sangue dos Mártires e com ele regavam as almas que se aproximavam de Deus.” (Tuy)

Após a visão desse massacre, as crianças aterradas, não podiam deixar de volver o olhar para a Senhora, que as consolou: “Em Portugal se conservará sempre o dogma da Fé… Por fim o meu Imaculado Coração triunfará. O Santo Padre consagrar‑me‑á a Rússia, que se converterá, e será concedido ao mundo algum tempo de paz.”

Era a visão da virtual eliminação do papa católico com o seu séquito fiel que deixava a Cristandade, já arruinada, “decapitada” de um guia. Tratava-se de uma profecia que pode ser completamente confirmada pela visão da atual vida do mundo e da Igreja.

A demolição da Igreja e a desordem e perversão imperantes na terra, que vive no meio de escombros morais e religiosos, é uma evidência, mas não será a grande comunicação, serva dos poderosos a entender o que ocorre no mundo chamado católico, se os mesmos clérigos não percebem o que lá foi perpetrado. Todavia, esse mundo clerical entretido por essa grande comunicação globalizada desconfia dessa mensagem, ao mesmo tempo que crê na lenda do “papa bom” em paradoxal contraste com a sua devastação religiosa.

Neste sito se escreve para os poucos que ainda reconhecem os deletérios efeitos espirituais e existenciais desta paixão do Cristianismo, que vão da ordem do crer à do pensar, do entender à do agir, da fé à da esperança e caridade, que conhece o Mandato evangélico pelo qual o fiel não se deve submeter mas anatemizar os perversores.

Dirigimo-nos aos raros que sabem da necessidade desse testemunho na história da redenção do homem espiritual, assim como foi criado por Deus; aos que não desdenham sinais, mesmo velados, encerrando desígnios divinos. Este sito é dedicado em especial a quem sabe da presença do sobrenatural no curso histórico também dos impérios, e que conhece, portanto o alcance da santa palavra “conversão”, também da Rússia.

Este é o termo que a igreja ecumenista, agora abertamente com Bergoglio, quer relegar à categoria de mito, se não de ofensa para quem vive na ilusão dos diálogos. Por que um muçulmano, judeu, budista ou vuduista deveria se converter a Jesus Cristo segundo eles? Mas o incrível é ter isto sido proclamado justamente por clérigos vestidos de vigários de Cristo, que promovem a operação ecumenista segundo o verbo invertido do Vaticano 2º! Haveria então que explicar por que razão quem não precisa se converter a Cristo deveria ouvir as conversas fátuas de quem diz ser Seu vigário no mundo?

O católico acreditava numa «inteligência da história»; na sua filosofia, que não excluiu nem a profecia nem o milagre da conversão de um império à ordem cristã. Sim porque o milagre é ordenado à profecia e esta à ordem histórica de um desígnio superior. Mas não é justamente assim para toda a vida neste planeta, em cuja equação não podem faltar os termos de ordem e finalidade, enfim de uma verdade que transcende o homem?

Agora voltemos ao que se passa neste mundo revolucionário hoje. As guerras e revoltas se alastram na onda de uma perseguição sem precedentes dos cristãos, cobertas por mil mentiras da «grande comunicação» e pelos espetáculos populares do anticristo atual.

Após aquele período de guerras devastadoras, o clima moral e religioso do mundo tornou-se cada vez mais sórdido devido ao geral divórcio da Fé causado, seja pelo materialismo seja pelo americanismo. Declararam no Vaticano a falsa «liberdade de consciência na verdade»; o ardil mais sinuoso contra o dom da liberdade da consciência ordenada à única Verdade, que a operação ecumenista se empenha em ocultar.

No plano dos fatos a tentação moderna a substituir a ordem natural cristã pela nova ordem mundial redundou no descalabro presente. Assim, na era da comunicação total, circulam notícias de crises sinistras e perigos aterradores, mas sobre suas causas humanas e soluções só há confusão. A realidade hodierna é a decadência espiritual numa crise geral e profunda que atinge todos os níveis: da família ao estado, da justiça à política; onde não reinam violência e corrupção há ocultas perversões. Convive-se com a imoralidade, delitos e falsidades. Nunca a autoridade foi tão necessária, nunca tão ausente. Jamais houve controles tão potentes; jamais tanta inconsciência e não há mais poderes humanos aos quais recorrer para conter desordens nacionais e sustar chacinas pelo mundo afora. Nunca a ajuda divina foi tão urgente, nunca tão ignorada!

Quando toda essa degradação atingir Fátima, então saberemos qual será a dimensão da perseguição que os católicos podem esperar ainda nas terras da Cristandade de outrora. Por isto publico aqui esta foto do monumento de Valinhos no lugar em que Maria SS. apareceu em agosto de 1917.

Neste mês de maio, quando, com os habitantes das redondezas de Aljustrel íamos rezar ali o Terço, encontramos o monumento pichado com palavras blasfemas numa língua confusa e de igual modo o foram algumas estações da Via Sacra. Foi preciso a máquina especial com jato de pressão para limpar essa infâmia, que surge apenas como mais um pequeno sinal do que podemos esperar num mundo onde tanta ofensa a Deus se alastra, enquanto fenece a consciência da urgente necessidade de penitência. Tudo porque não se deu a devida atenção aos avisos divinos da Mãe que chora sobre a perdição de tantos. No entanto, pouco se atenta a isto, como ao delito contra a Fé perpetrado em Roma.

Tal delito não foi considerado até hoje no seu confronto com a visão virtual do Segredo. Todavia, é real na demolição conciliar que passou por longa inquirição, sempre calada e censurada pelo Vaticano, como fizeram com o Segredo! Eis como o paralelo se confirma, pois tudo ocorre como se as questões cruciais para a fé devam ser censuradas na sua importância e seus sinais, que refletem o desígnio divino, ofuscados.

E eis que a devastação chega a galope, como os cavalos do Apocalipse, quando todo simbolismo se materializa na espantosa realidade que o mundo vai viver e nós devemos testemunhar, mas lembrando as palavras pronunciadas em Fátima: “Por fim o meu Imaculado Coração triunfará. O Santo Padre consagrar‑me‑á a Rússia, que se converterá, e será concedido ao mundo algum tempo de paz.” Salve Maria santíssima!

Uma resposta para “A REVOLUÇÃO DO ÓDIO CONTRA O AMOR NO SINAL DE FÁTIMA

  1. Get Smart agosto 20, 2013 às 12:27 am

    Segundo os testemunhos recolhidos na época, a senhora disse às três crianças que era necessário rezar muito e que aprendessem a ler. Convidou-as a voltarem ao mesmo sítio no dia 13 dos próximos cinco meses. As três crianças assistiram a outras aparições no mesmo local em 13 de junho, 13 de julho e 13 de setembro. Em agosto, a aparição ocorreu no dia 19, no sítio dos Valinhos, a uns 500 metros do lugar de Aljustrel, porque as crianças tinham sido levadas para Vila Nova de Ourém pelo administrador do Concelho no dia 13 de agosto.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

AMOR DE LA VERDAD

que preserva de las seducciones del error” (II Tesal. II-10).

Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

Radio Spada

Radio Spada - Tagliente ma puntuale

Catholic Pictures

Handmaid of Hallowedground

Hallowedground

Traditional Catholic Visualism

Acies Ordinata

"Por fim, meu Imaculado Coração triunfará"

RADIO CRISTIANDAD

La Voz de la Tradición Católica

%d blogueiros gostam disto: