Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

A ESSÊNCIA TRANSCENDENTAL DA FÉ CATÓLICA

videntes_3o_segredo2

  • O termo “Religião”, etimològicamente, significa “religar,”isto é: consubstancia a RELAÇÃO TRANSCENDENTAL que necessàriamente une toda a criatura a Deus Criador; por outro lado, a relação de Deus com a sua criatura humana é denominada por São Tomás como relação de razão, visto que todo o ser criado reside, VIRTUALMENTE, na Causa Primeira.
  • Isto faz entender como a Religião verdadeira é e só pode ser única e sem religações ecumenistas de marca humana. E tudo o que se contrapõe a esta unicidade é detestável a Deus. http://www.youtube.com/watch?annotation_id=annotation_4131355267&feature=iv&src_vid=DO42aGvyEZk&v=C7UDB9C1A8A.
  • “Coisas espantosas e estranhas ocorreram na terra: os profetas profetavam mentiras e os sacerdotes os aplaudiam com as mãos; e o meu povo amou estas coisas. Que castigo não virà depois de tudo isto?” (Jr 5, 30-31).

*   *   *   *

*   *   *

*

Alberto Carlos Rosa Ferreira das Neves Cabral

Escutemos São Pedro, na sua primeira Epístola, capítulo 4, versículos 12 a 19:
«Caríssimos, não vos surpreendais com a labareda que se ergueu contra vós, para vos provar, como se vos acontecesse coisa estranha; alegrai-vos, antes, na medida em que participais nos sofrimentos de Cristo, para que também vos alegreis e rejubileis na Sua gloriosa aparição. Bem-Aventurados vós, se fordes objecto de injúrias por causa do Nome de Cristo, porque o Espírito Divino e glorioso repousa sobre vós. Que nenhum de vós tenha de sofrer por ser homicida ou ladrão, ou malfeitor, ou intrigante; mas se sofre por ser cristão, não se envergonhe, mas dê glória a Deus por tal título. Pois é tempo de começar o Juízo pela Casa de Deus. E se ele começa por nós, qual será o fim dos que não crêem no Evangelho de Deus? E “se o justo a muito custo se salvará, onde acabarão o ímpio e o pecador?”
Assim também os que sofrem conforme a vontade Divina, devem recomendar as suas almas ao Criador fiel, praticando o Bem.»

O Catecismo inicia-se, ou deve iniciar-se, pela seguintes perguntas e respostas: Quem me criou? R- Criou-te Deus. E para que me criou Deus? R- Deus criou-te para O conheceres, amares e servires neste mundo, e para O contemplares para sempre na Eternidade.

Se não fosse assim, o Homem seria o único ente ontològicamente frustrado de todo o Universo; efectivamente, se observarmos bem, toda a Criação, inorgânica, vegetal e animal, cumpre a sua função, porque todas as partes se integram hieràrquicamente, teleològicamente, harmònicamente, no Todo; o mais ínfimo insecto cumpre a sua função, as moscas, os vermes, por exemplo, ajudam a degradar os organismos em putrefacção; os oceanos actuam como bomba de calor, evitando, quer o extremo aquecimento, quer o extremo arrefecimento; a inclinação do eixo da Terra proporciona a agradável sucessão das estações do ano, facultando fauna e flora mais rica e mais variada; SE O HOMEM, COMPOSTO DE CORPO E ALMA, NÃO PUDESSE VOLTAR PARA DEUS – TODO O SEU SER SERIA ABORTIVO. CONSTITUIRIA, ALIÁS, O ÚNICO ABORTO DA CRIAÇÃO.
Mesmo antes de qualquer outro raciocínio, cada homem deve concluir, Sobrenaturalmente, de si para si mesmo: SE EU EXISTO, ENTÃO DEUS EXISTE.

Mesmo o homem vivendo materialmente no paganismo, desconhecendo, sem culpa, a Nosso Senhor Jesus Cristo, pode, com a Graça de Deus, alcançar a Verdade e a Santidade, na Fé, na Esperança e na Caridade, NA REALIDADE DESCONHECE A NOSSO SENHOR EM ACTO, MAS CONHECE-O VIRTUALMENTE EM HÁBITO, NO HÁBITO DA FÉ TEOLOGAL SOBRENATURAL.

É necessário afirmar que existe uma proporção verdadeiramente transcendental entre o Hábito Teologal da Fé e o princípio fundamental da Revelação, porque a Fé Teologal constitui uma participação real, embora acidental, na Inteligência Divina.

A Providência Divina possui um plano para cada unidade existente, enquanto tal, muito especialmente para cada ente espiritual.
Os Mistérios Sobrenaturais da Fé superam infinitamente as forças da inteligência humana e da inteligência angélica – SUPERAM-NA MAS NÃO A CONTRADIZEM.

Ao fim de cinco séculos de depauperamento, de desintegração teológica, ontológica e psicológica, o homem ocidental, o homem da Idade pós-cristã, chegou a um estado extremo de contingência espiritual e intelectual, estado que Romano Amério denomina “circiterismo,” do advérbio latino “circiter”que significa – “mais ou menos”, “aproximadamente”; efectivamente, o espírito do “homem moderno” é um nada ambulante, que procura nos divertimentos e no pecado algo que preencha o seu terrível vazio, O QUAL CONSTITUI JÁ UM COMEÇO DE INFERNO NESTE MUNDO; dir-se-á, mas sempre houve homens assim; é certo, mas o que caracteriza negativamente, em primeiro lugar os últimos dois séculos, e ulteriormente os últimos cinquenta anos, é, no primeiro caso o lançamento no completo desamparo da Santa Madre Igreja por parte do poder público e do braço secular, PRIVATIZANDO e subjectivando a Fé Teologal, rebaixando-a ao nível da intimidade de cada um (individualismo); e no segundo caso INSTITUCIONALIZANDO MATERIALMENTE O NADA NAQUELA QUE FOI A CASA DE DEUS.

A história da Humanidade nos últimos séculos corresponde pois a uma progressiva INSTITUCIONALIZAÇÃO DO MAL.
Ora um dos princípios constituidores da santa Fé Católica, consiste precisamente no seu carácter EMINENTEMENTE PÚBLICO E OBJECTIVO; o Magistério do Antigo Testamento, institucionalizado nos orgãos do povo eleito, encarnado em Moisés, nos Profetas, na Realeza, no sacerdócio Levítico, na Literatura Sapiencial, CONSTITUÍA UM MAGISTÉRIO ESSENCIALMENTE PÚBLICO, COMO PÚBLICO FOI TODO O MAGISTÉRIO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO E DOS APÓSTOLOS.

A nunca suficientemente amaldiçoada Igreja conciliar não possui Magistério objectivo, na exacta medida em que através dos orgãos institucionais que usurpou à Santa Madre Igreja vomita a tese, teórica e prática, de que cada homem é o “deus” de si próprio; aliás a referida extrema contingência espiritual do “homem moderno” proíbe em absoluto qualquer noção de Verdade objectiva, institucionalizada num Magistério Público e compulsivo.

O termo “Religião”, etimològicamente, significa “religar,”isto é: consubstancia a RELAÇÃO TRANSCENDENTAL que necessàriamente une toda a criatura a Deus Criador; por outro lado, a relação de Deus com a sua criatura, é denominada por São Tomás como relação de razão, visto que todo o ser criado reside, VIRTUALMENTE, na Causa Primeira. ORA A MALDITA IGREJA CONCILIAR, NAS SUAS DEICIDAS PROCLAMAÇÕES, CANCELOU, ABOLIU, OFICIALMENTE, O SAGRADO E TRANSCENDENTAL VÍNCULO DA RELIGIÃO, NÃO APENAS NO PLANO SOBRENATURAL, MAS IGUALMENTE NA ORDEM NATURAL.

Religião só pode existir uma, aquela mesma constituída por Deus, em Nosso Senhor Jesus Cristo, como a Depositária do Tesouro Sobrenatural da Revelação; as outras chamadas religiões, não o são, constituindo apenas engodos de satanás, sendo o pior de todos a falsa Igreja conciliar.

Pela primeira vez na História Universal a Humanidade encontra-se inteiramente privada de referências Teológicas, Filosóficas e Morais. No passado, por tenebroso que fosse o mundo, e era, UMA LUZ SOBRENATURAL SE DERRAMAVA COPIOSA E PERMANENTEMENTE SOBRE ESTE VALE DE LÁGRIMAS, ILUSTRANDO-O COM O LUME DA LEI ETERNA E INCRIADA – AGORA, PORÉM, É A TREVA ABSOLUTA.

Disse Nossa Senhora a Lúcia: “Não filha, eu nunca te deixarei, o meu Imaculado Coração será o teu refúgio e o caminho que te conduzirá até Deus.”

Fátima constitui a chave fundamental para aniquilar o mistério da iniquidade e a potência do anti-Cristo. Se Portugal ainda existe é apenas por causa de Fátima.
Se Bergoglio tiver o atrevimento de vir a Fátima em 2017, para o centenário, é caso de solicitarmos instantemente para que o fogo do Céu o fulmine, como fez Elias aos falsos profetas de Baal. Tal encerraria de vez, PÙBLICAMENTE, a grande mentira conciliar.

Fátima constitui um maravilhoso catecismo da essência Sobrenatural da Fé Católica, do inefável Mistério da nossa participação da Natureza Divina, da Inteligência Divina, da Caridade Divina; dos soberanos afectos do Sagrado Coração de Jesus presente na Eucaristia.

Em Fátima, a Infinita Misericórdia de Deus irradia-se de modo particularmente enriquecedor para as almas contemplativas.
A seita conciliar odeia Fátima tal como odeia a Nossa Senhora.

Toda a piedade verdadeiramente católica deve ser humilde, simples, sincera, toda abismada na adoração d’Aquele que nos deu o ser, e do Qual totalmente dependemos.

Em Fátima o resplendor do Dogma da Fé é ardentemente tornado acessível às crianças. Aliás os destinatários das manifestações celestes são quase sempre almas simples. Assimilemos Sobrenaturalmente esta lição.

Só com verdadeira Caridade Sobrenatural, uma Caridade contemplativa, fervorosa, poderemos combater o modernismo. Não olvidemos que os dons Sobrenaturais NÃO DEPENDEM DAS PERFEIÇÕES NATURAIS, CONSTITUEM ANTES UM CHAMAMENTO COMPLETAMENTE GRATUITO DE DEUS.

E tudo é inútil, excepto amar e servir, Sobrenaturalmente, a Deus Uno e Trino.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

Lisboa, 20 de Fevereiro de 2014

Uma resposta para “A ESSÊNCIA TRANSCENDENTAL DA FÉ CATÓLICA

  1. realmilenavelba fevereiro 23, 2014 às 5:53 am

    Am I permitted to publish this on my twitter?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

AMOR DE LA VERDAD

que preserva de las seducciones del error” (II Tesal. II-10).

Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

Radio Spada

Radio Spada - Tagliente ma puntuale

Catholic Pictures

Handmaid of Hallowedground

Hallowedground

Traditional Catholic Visualism

Acies Ordinata

"Por fim, meu Imaculado Coração triunfará"

RADIO CRISTIANDAD

La Voz de la Tradición Católica

%d blogueiros gostam disto: