Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

O SANTO BAPTISMO COMO CONSTITUTIVO DA ESTRITA OBRIGATORIEDADE DA ORDEM SOBRENATURAL

BATISMO de Jesus

Alberto Carlos Rosa Ferreira das Neves Cabral

Escutemos o Papa Pio XII, em excertos da sua encíclica “Mystici Corporis,” promulgada em 29 de Junho de 1943:

«Como membros da Igreja, contam-se realmente só aqueles que receberam o lavacro da regeneração, e professam a verdadeira Fé, nem se separaram voluntàriamente do organismo do Corpo, ou não foram dele amputados, pela legítima autoridade, em razão de culpas gravíssimas. – “Todos nós – diz o Apóstolo – fomos baptizados num só Espírito, para formarmos um só Corpo, Judeus ou Gentios, escravos ou livres” (IªCor, 12,13). Portanto, como na verdadeira sociedade dos fiéis há um só Corpo, um só Espírito, um só Senhor, um só Baptismo, assim não pode haver senão uma só Fé (Cf.Ef 4,5), e que por isso, quem se recusa a ouvir a Igreja, manda o Senhor que seja tido por gentio e publicano (Cf. Mt 18,17). Por conseguinte, os que estão entre si divididos, por motivos de Fé ou de governo, não podem viver nesse Corpo único, nem do seu único Espírito Divino.
Não se deve, porém, julgar que já durante o tempo da peregrinação terrestre, o Corpo da Igreja, consta só de membros com perfeita saúde, ou só dos que de facto são por Deus predestinados à Eterna felicidade. Por Sua Infinita Misericórdia, o Salvador não recusa lugar, no Seu Corpo Místico, àqueles a quem o não recusou, outrora no banquete (Mt 9,11; Mc 2,16; Lc 15,2). Nem todos os pecados, embora graves, são de sua natureza tais, que separem o homem do Corpo da Igreja, como fazem os cismas, a heresia, e a apostasia. Nem perdem de todo a vida Sobrenatural os que pelo pecado perderam a Caridade e a Graça Santificante, e que por isso se tornaram incapazes do mérito Sobrenatural, mas conservam a Fé e a Esperança Cristã, e alumiados pela Luz Celeste, são Divinamente estimulados com íntimas inspirações e moções do Espírito Santo ao temor salutar, à oração e arrependimento das suas culpas.»

O grande deicídio da seita conciliar, da seita anti-Cristo, é querer COLOCAR NO HOMEM O QUE É DE DEUS; a partir desse monstruoso erro, o homem, individual e colectivamente, poderá ser tudo aquilo que quiser, pois não dependerá mais das essências, absolutamente imutáveis das coisas, cujo fundamento Teológico e Metafísico reside, Eternamente, em Deus Uno e Trino. Ora a Glória extrínseca de Deus, bem como a própria felicidade Sobrenatural do Homem, mesmo neste mundo, dependem do respeito integral pela essência íntima das realidades criadas, na sua relação com Deus, bem como da sua proficiente hierarquização.
Aqueles que afirmam que o Baptismo deve ser diferido para uma época da vida em que o indivíduo possa ratificar livremente  tudo aquilo em que é envolvido e a que se obriga, esses, repito, NÃO POSSUEM A FÉ TEOLOGAL, POIS NÃO POSSUEM QUALQUER CONCEITO DA GRATUITIDADE E ESTRITA OBRIGATORIEDADE DA ORDEM SOBRENATURAL – NEM POSSUEM O PRÓPRIO CONCEITO DE SOBRENATURAL.
Efectivamente, o santo Baptismo constitui-nos filhos adoptivos de Deus; e desde já cumpre assinalar que se não tivéssemos sido elevados à Ordem Sobrenatural, SERÍAMOS SEMPRE PURAS CRIATURAS DE DEUS, AINDA QUE RACIONAIS. Ser filho adoptivo de Deus Uno e Trino, significa ser chamado a PARTICIPAR NA SUA VIDA ÍNTIMA, QUE TAL É A TRINDADE SANTÍSSIMA; significa que possuímos acidentalmente, Aquilo pelo Qual Deus É, essencialmente; significa participar sobrenaturalmente do Pensamento Divino, do Amor Divino, pelas Virtudes Teologais e Morais, e pelos Dons do Espírito Santo.
A Ordem Sobrenatural constitui Património exclusivo da Santa Madre Igreja, no sentido em que esta detém constitutivamente, por Direito Divino, a plena titularidade da Revelação objectiva e sua explicitação magistral.
Cada ser humano nascido sobre a Terra, foi criado por Deus Nosso Senhor, com o concurso dos seus pais; foi redimido por Nosso Senhor Jesus Cristo; e tem por missão anunciar a Glória de Deus, amando-O e servindo-O, para depois se unir a Ele na Eternidade beatífica. NÃO É MORALMENTE LIVRE DE REJEITAR O SEU DESTINO SOBRENATURAL, PRETERINDO-O POR QUALQUER ITINERÁRIO NATURAL DO SEU AGRADO. Deve pois ser baptizado, o mais depressa possível, para que seja enriquecido com a Graça Santificante, e virtudes Teologais e Morais, com que deveria ter nascido, se os nossos primeiros pais não tivessem pecado.
Se na Antiguidade Cristã havia o mau costume de prorrogar o mais possível o Baptismo; a Santa Igreja sempre reprovou essa atitude, como oriunda de uma falsa compreensão da realidade da Fé Católica; tal acontecia por receio da assunção das responsabilidades do ser cristão, bem como do temor que inspiravam as falsas doutrinas de Novaciano – o qual chegou a ser anti-Papa – que negavam a possibilidade de perdão de certos pecados mais graves, cometidos subsequentemente à recepção do Baptismo.
Uma criança baptizada inicia a vida com uma extraordinária “mais valia” Sobrenatural: a sua alminha torna-se templo do Espírito Santo, espelho fiel da Divindade, podendo merecer sobrenaturalmente, logo que atinja o uso da razão. A passagem de uma alma em estado natural para o estado de Graça Sobrenatural, VALE MAIS DO QUE O UNIVERSO INTEIRO; um só aumento de Graça na alma fiel, VALE MAIS DO QUE TODO O RESTANTE UNIVERSO EM ESTADO NATURAL – Pensamos verdadeiramente nisto?
A SEITA ANTI-CRISTO NÃO POSSUI BAPTISMO VÁLIDO.
Como? Então o Catecismo antigo não nos ensina de que até um Judeu pode baptizar?
Efectivamente, um Judeu que possua a intenção formal de fazer o que faz a Santa Madre Igreja, baptiza vàlidamente. Mas já não um Judeu inimigo da Santa Igreja, porque para possuir intenção formal de fazer o que faz a Santa Madre Igreja é necessário manter um vínculo de respeito pela Instituição, cuja intenção o indivíduo assume formalmente. Ora os funcionários da seita anti-Cristo odeiam a Santa Mãe Igreja, querem-na destruir; nutrem assim uma intenção formalmente contraditória com aquela que deveriam possuir para baptizar vàlidamente. Mesmo os chamados jovens “padres,” invàlidamente ordenados, MAS QUE SÃO, HOJE, MAIS VÍTIMAS DO QUE RESPONSÁVEIS PELOS CRIMES DA IGREJA CONCILIAR, ESSES JOVENS NÃO SABEM, PURA E SIMPLESMENTE, O QUE É A SANTA MADRE IGREJA, E PORTANTO NÃO PODEM ASSUMIR A SUA INTENÇÃO BAPTIZAR. OS ORTODOXOS E CERTOS ANGLICANOS BAPTIZAM VÀLIDAMENTE, MAS A SEITA CONCILIAR – NÃO!
É claro que nem sempre foi assim; todavia à medida que os sacerdotes mais velhos foram sendo substituídos, foi proporcionalmente aumentando o número de baptismos concebidos sòmente como rito de admissão numa seita festivaleira e pândega – uma espécie de praxe.
O Baptismo foi instituído por Nosso Senhor, quando foi baptizado por São João Baptista nas águas do Jordão, e promulgado no dia de Pentecostes.
Nosso Senhor Jesus Cristo não pode ser, moralmente, objecto de escolha; o Carácter Baptismal constitui um poder, espiritual, instrumental, Sobrenatural, subordinado ao poder instrumental eminente de Jesus Cristo, verdadeiro Homem, bem como ao poder de Autoridade de Jesus Cristo, verdadeiro Deus. O Carácter Baptismal constitui um vínculo Sobrenatural com Nosso Senhor –  Criador, Redentor e substancialmente Sacerdote.
O carácter do Baptismo condiciona a recepção de todos os outros Sacramentos, não só porque, sem Baptismo, todos os outros Sacramentos seriam recebidos invàlidamente, mas também porque em cada Sacramento existe o concurso instrumental do Carácter Baptismal com a instrumentalidade própria do Sacramento; anàlogamente, existem as Graças actuais referentes aos Sacramentos, e que são conferidas após a sua administração, serão necessàriamente Graças desse Sacramento, embora este já seja um facto passado; como compaginar pois essas Graças Sacramentais com a tese tomista dos Sacramentos como causa Física instrumental da Graça? Exactamente pelo Carácter do Baptismo, sobretudo, embora também do Carácter da Ordem e da Confirmação; é o Carácter, que permanecendo numèricamente o mesmo, conserva ontològicamente a memória dos Sacramentos vàlidamente recebidos, como constitutivos do direito a novas Graças, as quais possuirão como causa instrumental esse mesmo Carácter.
Poderão parecer ociosas estas clarificações, mas afiguram-se necessárias numa época em que não encontramos Baptismo válido na própria Igreja dita católica.
Como proceder então? Será lícito recorrer a uma Igreja ortodoxa?
Se não pudermos aceder ao ministério de um sacerdote da Fraternidade QUE FOI DE SÃO PIO X, ou outro sacerdote católico mesmo não incardinado; sempre é lícito realizar uma cerimónia privada, com testemunhas, e se possível, padrinhos; um sacerdote ortodoxo poderia ser chamado, mas só NUMA CERIMÓNIA ESTRITAMENTE PRIVADA. Recordemos que a Santa Madre Igreja sempre autorizou que, EM PERIGO DE MORTE, os fiéis recebessem o Sacramento da Penitência de um sacerdote ortodoxo, pois que neste caso a Santa Igreja supre a Jurisdição.
Recordemos que qualquer pessoa pode baptizar desde possua a intenção formal de fazer o que faz a Santa Igreja; no caso de Baptismo privado não se contraem laços de parentesco espiritual.
Para o Baptismo daqueles que gozam do uso da razão: para a validade, é necessária a intenção formal de recebê-lo, como Sacramento da Igreja; para a liceidade é necessária a Fé Católica; o Baptismo apaga todos os pecados, original e actuais, e toda a pena devida ao pecado.
Nosso Senhor, na Sua Infinita bondade, providenciou que a Porta de entrada no Seu Corpo Místico fosse fìsicamente muito fácil de obter; água há por toda a parte; sendo absolutamente necessária à vida natural, foi elevada por Deus Uno e Trino a matéria sacramental do santo Baptismo. Efectivamente, as realidades naturais possuem aquilo que em Teologia se denomina POTÊNCIA OBEDIENCIAL, isto é: a capacidade de ascenderem, de serem chamadas por Deus, a um plano operativo Sobrenatural. O exemplo supremo desta POTÊNCIA OBEDIENCIAL encontra-se precisamente na Natureza Humana de Nosso Senhor, Hipostàticamente elevada à dignidade e existência do Verbo de Deus. Mas a nossa alma, elevada à Ordem Sobrenatural pela Graça Santificante e pela Caridade, também constitui sublime manifestação da Bondade Divina, ao comunicar-nos gratuitamente o Lume dulcíssimo do Mistério da Sua Asseidade e da Sua Eternidade.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

Lisboa, 17 de Setembro de 2014

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

AMOR DE LA VERDAD

que preserva de las seducciones del error” (II Tesal. II-10).

Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

Radio Spada

Radio Spada - Tagliente ma puntuale

Catholic Pictures

Handmaid of Hallowedground

Hallowedground

Traditional Catholic Visualism

Acies Ordinata

"Por fim, meu Imaculado Coração triunfará"

RADIO CRISTIANDAD

La Voz de la Tradición Católica

%d blogueiros gostam disto: