Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

A «COMUNHÃO» FATAL COM OS DEMOLIDORES «ANTICRISTOS NO VATICANO» (profetizado por São Francisco?)

KATHECONROMANO

Arai Daniele

O mundo católico sabe e mesmo um vaticanista do Palácio, como Sandro de Magister escreveu, que «um ponto sobre o qual Jorge Mario Bergoglio estava à espreita, após a sua elevação ao papado, era o da Missa no rito antigo. Em suma, era adversário velado da tal “Summorum Pontificum”, do Bento 16.

Já em 2013, se quis decretar com ato assinado pelo prefeito cardeal progressista Braz de Aviz, focolar, e pelo secretário da mesma congregação para os religiosos, Rodríguez Carballo, franciscano, ato contra a Missa Tradicional entre os Franciscanos da Imaculada. Com assombro os conciliares viram que justamente essa comunidade, uma das mais floridas nascidas nas últimas décadas, com ramos masculino e feminino, muitas vocações, difundidas em vários continentes e com missão também na Argentina, era duramente ferida pela intervenção imotivada. Isto teria sido causado por um número limitado de dissidentes internos, que apelaram às «autoridades romanas» lamentando o excessivo tradicionalismo em ato! A «autoridade vaticana» respondeu incontinente com a nomeação de um potente «kommissar»! Curioso que, ao contrário da atitude do «papa alemão» que optara pelo ato discreto, o bando de latino-americanos no poder optava pela «mão dura». Ora, em geral, contra um decreto draconiano de uma Congregação vaticana era possível apresentar um recurso ao tribunal supremo de Assinatura Apostólica, presidida pelo cardeal americano Raymond Leo Burke, considerado amigo dos tradicionalistas. Mas como o decreto era aprovado por J. M. Bergoglio, nenhum recurso foi admitido e o mundo tradicional-conciliar em comunhão com essa nova malta ficou avisado! Depois disso Burke também foi afastado daquela função e mandado para o museu dos antigos cavaleiros de Malta.

Já então muitos se perguntavam sobre o que aconteceria, não só para estes ou aqueles, mas para toda a nova Igreja conciliar? Será depurada a força de qualquer tradição? O Vaticanista citado nota que curiosamente, mesmo após seis anos de sua publicação, o motu proprio “Summorum Pontificum” de Bento 16 continuava presente na página web da S. Sé, mas somente em dois idiomas: o latim e o húngaro!

Agora se sabe que Bergoglio depois de proibir aos Franciscanos da Imaculada de celebrar a Missa Tradicional, quer, com um ato que provavelmente devia ser discreto e através do bispo local, a proibição de celebrar a Missa aos padres da FSSPX de Albano*; pena a excomunhão! Parece soar a hora para os lefebvrianos em comunhão com os que o Fundador chamou de «anticristos» no Vaticano! Aliás quando Mgr Lefebvre foi excomungado e assim morreu, disse alto e claro que os verdadeiros excomungados eram os da congrega conciliar que se haviam afastado da Tradição. Poucos ali o entenderam, porque ou tentam, como mgr Fellay e companhia, a tratarem com os anticristos. Ou não tratam mas continuam a comungar com estes, como é o caso de mgr Williamson. Agora vemos o seu primeiro efeito aplicado em Albano. Tudo isto traz à mente uma profecia de São Francisco que, pouco antes da morte convocou os seus Filhos e alertou-os sobre os problemas que haviam de vir, dizendo (nossa tradução):

  • «Procedei com coragem, meus irmãos e obtereis conforto e sustento no Senhor. Breve virá o tempo de grandes provas, tribulações e aflições, diante das quais aumentarão as perplexidades e discórdias, tanto espirituais como temporais; a caridade de muitos esfriará, enquanto a malícia dos ímpios abundará. O poder dos demônios será desencadeado como nunca; a pureza imaculada de nosso culto, e de outros, será deturpada, ao ponto de haver bem poucos cristãos na perfeita obediência ao verdadeiro Sumo Pontífice e à Igreja Romana.
  • No tempo desta tribulação, um homem não canonicamente eleito será elevado ao Pontificado e, com astúcia, tramará para levar muitos à morte com seus desvios. Então os escândalos se multiplicarão, e a nossa Religião será dividida, e muitos serão a tal ponto desmoralizados de não oporem-se, mas aceitar conviver com os desvios. Haverá tal diversidade de opiniões e divisões entre as pessoas do povo, dos religiosos e eclesiásticos, que se aqueles dias não forem abreviados, segundo as palavras do Evangelho, até os eleitos seriam levados pelos erros, se no meio de tão grande confusão não forem guiados pela infinita misericórdia de Deus. Então a nossa Regra e nosso modo de vida serão atacados violentamente por alguns, e provas terríveis cairão sobre vós. Os que permanecerem fiéis nessa prova receberão a coroa da vida; mas ai dos que, confiando somente na nossa religião, não resistirão com constância às tentações permitidas como prova para os eleitos. Os que no fervor da caridade e com espírito de zelo e amor pela verdade serão fiéis ao amor de Deus, serão injuriados e perseguidos como se fossem rebeldes e cismáticos; pois os seus perseguidores, instigados por espíritos malignos, pensarão prestar grande serviço a Deus eliminando homens pestilentos da face da Terra; mas então o Senhor será o refúgio dos aflitos, e salvará todo aquele que nEle confiar. Estes eleitos, a fim de serem como o seu Mestre, agirão com fé e preferirão obedecer antes a Deus que aos homens, nada temendo e preferindo perecer que aceitar a falsidade e a perfídia, enquanto alguns pregadores farão silêncio sobre a verdade, e outros a desprezarão e negarão. Como a santidade de vida será desprezada até pelos que dizem professá-la, naqueles dias Nosso Senhor Jesus Cristo lhes enviará, não um verdadeiro pastor, mas um destruidor».

Tomado do livro publicado em 1880 pela «Imprimerie de la Bibliothéque Ecclésiastique de Paris, Avenue D’Orleans 32», intitulado: S. Francisci Assisiatis – serafici minorum patriarchae – Opera Omnia Juxta editionem R:P. De la Haye in Gallia Minorum Procuratoris Generalis. O texto está contido na Medi Aevi Bibliotheca Patristica, editada pela mesma «Imprimerie», do qual constitui o «Tomus Sextus». A profecia em Latim está na página 430.

Como todas as profecias e revelações privadas, esta desperta dúvidas e desconfianças, por quanto possa não corresponder ao Evangelho. Ora se viu que aqui este é repetido com outras palavras, mas no mesmo sentido. O que seria especial e a considerar é a sua aplicação no tempo histórico. É onde os críticos apresentam suas próprias deduções. Por exemplo que a eleição de um papa canonicamente eleito, mas em seguida contestado pelo seu comportamento de «destruidor», pode bem corresponder ao de Urbano VI, cuja contestação pelos cardeais eleitores causou o terrível Cisma do Ocidente, com suas vastas crises e cismas, em que incorreram até santos.

Sim, parece haver correspondência, mas nada comparada à situação presente.

Aqui aparecem duas correntes de preocupações católicas: os rigoristas que, por medo que se exagere contestam, da origem à qualquer interpretação profética; os assim denominados «aparicionistas» que são verdadeiros caçadores de aparições e profecias, que depois as interpretam seguindo uma própria lógica.

Preferimos seguir a Igreja junto com a lógica segundo o senso da mesma aparição. Por exemplo para o Segredo de Fátima quanto é evidente: 1º que a aparição foi para trazer a mensagem e não o contrário, isto é a mensagem como apêndice da aparição: 2º que houve e há temporal e providencial oportunidade para a mensagem trazida, que é profética para o nosso tempo histórico e que agora demonstra ser para um inteiro século da história da Igreja. Por isto, a prova dos nove está nos mesmos fatos acontecidos de que a Profecia tratou: as guerras, as revoluções, a morte virtual do Papa com todo o seu séquito católico, que seria mais clara à partir do período apenas anterior a 1960.

Ora, o que aconteceu após a morte de Pio XII em 1960 corresponde ao atentado contra o Papado e toda ordem e vida da Igreja e da Cristandade. È o que, aliás, a mesma Irmã Lúcia antecipou em dezembro de 1957 ao Padre Agostinho Fuentes.

A este ponto, mesmo para os que não querem crer na mensagem, como era o caso de Hutton Gibson. o pai do Mel que colaborou no nosso livro «Segredo de Fátima ou Perfídia em Roma», forçoso era escrever: “If the ministers of Jesus Christ had difficulties to defend the Catholic Truth until Pius XII’s time, after his death this defense collapsed. This is a historical fact and since this would be clearer in 1960, as Cardinal Ottaviani heard from Sister Lucy, there is an astonishing “coincidence” between the date of this emblematic disaster and the subsequent “conclave” that elected John XXIII. He is the one who, in 1960, had already opened the Church to any deceit and apostasy. This after censuring the description of the Catholic pope “liquidation” with his faithful followers, as depicted in the Third Secret of Fatima.”

Contra os fatos não há argumentos e o Segredo nada mais fez que profetizá-los e datá-los para o conhecimento dos católicos. Hoje vivemos as consequências do que iniciou com a eleição de João 23 e prosseguiu com o Vaticano 2º e os «papas conciliares», que foram demolidores da Fé e da Liturgia de modo velado, enquanto Bergoglio pode sê-lo agora de modo explícito porque o caminho foi preparado, também pela beócia aceitação dos «tradicionalistas». Agora temos em pleno o tempo do «exterminador» previsto pelo Evangelho e lembrado por São Francisco, segundo a lógica de toda a Revelação, como êxito inevitável do Pecado Original. No nosso tempo ele atinge o Lugar santo da Autoridade de Deus em terra (II Ts 2) com o atávico «non serviam» ínsito nas palestras bergoglianas, que os coitados em «comunhão» fatal com um demolidor de tal calibre – de autêntico «anticristo no vaticano» – devem suportar! Isto foi profetizado também por São Francisco: acabarão por acolher e obedecer ao erro! Sim, deverão celebrar o NOM para não serem «excomungados»: será o «do ut des» final para cumprir a vontade do «homem» abandonando o verdadeiro Culto a Deus, como o Profeta Daniel profetizou e até São Francisco lembrou para tempos finais.

  • * Sede da Fraternidade São Pio X (FSSPX / SSPX) na Itália está localizada na diocese de Albano, fora de Roma, próximo a Castel Gandolfo. Para esta, um bispo especialmente ligado a Bergoglio, Marcello Semeraro, decretoupara a: Diocese Suburbicariana de Albano, NOTIFICAÇÃO AOS PÁROCOS SOBRE A “FRATERNIDADE SÃO X”:
  • A supracitada “Fraternidade” não é uma instituição (nem paróquia, nem associação) da Igreja Católica. Isso se aplica mesmo após o decreto da Congregação para os Bispos, de 21 de janeiro de 2009, pelo qual o Santo Padre Bento XVI, estendendo a mão de boa vontade em resposta a pedidos reiterados do Superior Geral da Fraternidade São Pio X, revogou a excomunhão em que quatro Prelados haviam incorrido em 30 de junho de 1988.
  • Esse fato foi enfatizado por Bento XVI em sua Carta aos Bispos da Igreja Católica, de 10 de março de 2009: “a Fraternidade não tem status canônico na Igreja, e seus ministros – embora eles tenham sido libertos da penalidade eclesiástica – não exercem legitimamente qualquer ministério na Igreja.” (in AAS CI [2009], n. 4, p. 272). O mesmo Bento XVI, na seguinte Carta m. p. Ecclesiae Unitatem, de 2 de julho de 2009, acrescentou: “a remissão da excomunhão foi uma medida tomada no contexto da disciplina eclesiástica de libertar as pessoas do fardo de consciência constituído pela mais séria das penalidades canônicas. Entretanto, as questões doutrinais obviamente permanecem e até que sejam esclarecidas a Fraternidade não tem status canônico na Igreja e seus ministros não podem exercer legitimamente qualquer ministério.” (in AAS CI [2009], p. 710-711).
  • Em consequência do que foi dito acima, é correto e adequado reafirmar o que havia sido formulado na Nota Pastoral sobre a Fraternidade São Pio X de [ex-bispo de Albano] Dante Bernini, na qual se lê o seguinte: Os fiéis católicos não podem participar da Missa, nem solicitar e/ou receber Sacramentos de ou na Fraternidade. Agir de maneira diversa significaria romper com a comunhão com a Igreja Católica (a excomunhão)!
  • Portanto, qualquer fiel católico que solicitar e receber Sacramentos na Fraternidade São Pio X, colocará a si próprio de facto em condição de não mais estar em comunhão com a Igreja Católica.
  • Da Mitra de Albano, 14 de outubro de 2014, + Marcello Semeraro, Bispo.

Se assim é para Albano, tudo indica que assim será, cada vez mais, pelo mundo afora: ou essa Comunidade faz as pazes com a Igreja do Vaticano 2º ou deve ser excomungada com seus fiéis, até decidir fazê-lo!

Mas visto que, como ensinou Jesus, é a Verdade que nos torna livres, e não há verdade na igreja do Vaticano 2º, hoje ocupada por J. Bergoglio, só os fiéis à Igreja Católica, não em comunhão com estes, são católicos plenamente livres de cultuar a Deus no Sacrifício de Amor de Seu divino Filho.

Laudetur Jesus Christus!

Que a infinita Misericórdia divina nos ampare também nesta hora!

 

Uma resposta para “A «COMUNHÃO» FATAL COM OS DEMOLIDORES «ANTICRISTOS NO VATICANO» (profetizado por São Francisco?)

  1. Ivonete Diegues novembro 3, 2014 às 10:24 pm

    Não aceitarei trocar a doutrina católica, por uma nova forma de “catolicismo.”Sou fiel ao meu Catecismo e não entendo como tantos , ( fiéis e padres) se deixam levar pelo modernismo!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

AMOR DE LA VERDAD

que preserva de las seducciones del error” (II Tesal. II-10).

Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

Radio Spada

Radio Spada - Tagliente ma puntuale

Catholic Pictures

Handmaid of Hallowedground

Hallowedground

Traditional Catholic Visualism

Acies Ordinata

"Por fim, meu Imaculado Coração triunfará"

RADIO CRISTIANDAD

La Voz de la Tradición Católica

%d blogueiros gostam disto: