Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

OS SANTOS ANJOS, MINISTROS DE DEUS, E BENFEITORES DOS HOMENS

Santo_Anjo_da_Paz1

Alberto Carlos Rosa Ferreira das Neves Cabral

Debrucemo-nos sobre o seguinte excerto do Livro de Tobias:

«Então Rafael falou-lhes assim em segredo: Bendizei o Deus do Céu, e dai-Lhe Glória diante de todos os viventes, por ter usado convosco da Sua Misericórdia. Porque é bom conservar escondido o Segredo do Rei, mas é coisa louvável manifestar e publicar as obras de Deus. É boa a oração acompanhada de jejum, e dar esmola vale mais do que juntar tesouros de ouro; porque a esmola livra da morte, e é a que apaga os pecados, e faz encontrar a misericórdia e a vida Eterna. Mas os que cometem pecado e iniquidade são inimigos das suas almas. Eu pois, vou descobrir-vos a Verdade, e não vos ocultarei o que está em segredo. QUANDO TU ORAVAS COM LÁGRIMAS, E ENTERRAVAS OS MORTOS, E DEIXAVAS O TEU JANTAR, E ESCONDIAS OS MORTOS EM TUA CASA DE DIA, E OS ENTERRAVAS DE NOITE, EU APRESENTEI AS TUAS ORAÇÕES AO SENHOR. E PORQUE TU ERAS ACEITE A DEUS, POR ISSO FOI NECESSÁRIO QUE A ORAÇÃO TE PROVASSE. E AGORA O SENHOR ENVIOU-ME A CURAR-TE, E A LIVRAR DO DEMÓNIO A SARA, MULHER DO TEU FILHO. PORQUE EU SOU O ANJO RAFAEL, UM DOS SETE ESPÍRITOS QUE ASSISTIMOS DIANTE DO SENHOR.»  Tob 12,6-16

Os santos Anjos são os entes que por natureza e por Graça mais perto estão de Deus Uno e Trino. São formas puras, e cada Anjo define e concentra uma só espécie. Enquanto nos entes materiais, a riqueza da ideia específica, e fecundidade qualitativa encerrada na forma, é expressa pela matéria, como observamos nos diversos indivíduos gerados pela tensão matéria-forma, a segunda procurando resistir aos limites impostos pela primeira, e esta tentando fazer transparecer, no espaço e no tempo, todo o resplendor da realidade espiritual.
Na realidade, cada Anjo unifica em si, com total coerência ontológica, as maravilhas que as espécies materiais diversificam ao máximo.
Dada a consistência da entidade angélica, sem assimetrias ontológicas, que no homem são ditadas pelo corpo, os bens Sobrenaturais foram facultados aos santos Anjos em proporção com as perfeições naturais; lògicamente também a prova a que foram submetidos terá sido mais exigente para os que receberam mais Graça.
Quer tratando-se de Anjos, quer tratando-se de homens, os bens Sobrenaturais da Graça nunca devem ser concebidos segundo a nossa experiência das dádivas terrenas contingentes. Deus Nosso Senhor não é um ente existente no meios de outros; na realidade Deus não existe, DEUS É. Há uma distãncia infinita entre Deus e os mais perfeitos dos Anjos.
Santo Tomás explica que Deus Uno e Trino, nem no conceito, nem na realidade, em caso algum pode ser unívoco com as Suas criaturas. Deus Nosso Senhor quando confere a existência aos entes, quando lhes concede as perfeições, quer naturais, quer Sobrenaturais, manifesta extrìnsecamente uma realidade que já É, VIRTUALMENTE, em Si Mesmo – como Princípio Eterno de toda a Criação – como essência que é, mas não existe, a menos que Deus assim eternamente o queira. Neste quadro conceptual, não há, nem pode haver, nada na Criação, que não provenha de Deus, excepto, evidentemente, a própria limitação, que por necessidade metafísica, afecta todo o criado.
Tudo o que os Anjos e os homens são, ou podem ser, são-no em Deus, por Deus e para Deus, ainda que O reneguem. Não pode haver Anjos ateus, pois dada a sua constituição ontológica, os anjos possuem a intuição imediata e infalível, na Ordem Natural, da existência de Deus, ao contemplarem-se a si próprios, mesmo independentemente das espécies inteligíveis, representativas do mundo visível, que recebem imediatamente de Deus. Agora o que há é ANJOS QUE ODEIAM A DEUS, QUE TAIS SÃO OS DEMÓNIOS, pois ao ser-lhes proposta a vida Sobrenatural – recusaram-na orgulhosamente, extasiando-se nas próprias perfeições naturais.
Quanto mais elevada é a perfeição angélica, menor é a multiplicidade de espécies inteligíveis de que necessitam para o conhecimento natural do mundo, maior a extensão do seu conteúdo representativo, e maior a sua definição e compreensão do particular. A concentração do conhecimento em menor número de espécies (no Anjo, mas também no Homem) intensifica a  eficácia ontológica do conhecimento, com menor perda de ser. Os Anjos não necessitam de exercer mediação racional, ou raciocínio, porque conhecem por intuição. Para além deste conhecimento puramente natural, denominado nocturno, os Anjos bons contemplam sobrenaturalmente a essência Divina, na Luz Infinita da Sua Verdade (conhecimento diurno), amando-A sobre todas as coisas e n’Ela compreendem supereminentemente a verdade da Criação, mas uma compreensão MEDIDA FORMALMENTE NA SUA PROFUNDIDADE PELO GRAU DE SANTIDADE.
É nos Dons do Espírito Santo que os homens mais se podem aproximar – embora apenas na aparência puramente exterior – do conhecimento angélico natural; pois que os Dons, constituindo uma pura oferta Divina, que nós recebemos passivamente, possuem, em muito poucas espécies Sobrenaturais, uma maravilhosa extensão, com inacreditável compreensão e definição do particular; sobretudo nos Dons da Sapiência e do Entendimento, os quais superam infinitamente todas as verdades naturais.
Já na visão de Deus, para os Anjos e para os homens, EXISTE UMA SÓ ESPÉCIE, QUE É A PRÓPRIA ESSÊNCIA DIVINA, e como já se afirmou, n’Ela compreendem a Verdade da Criação, MAS MEDIDA PELO SEU GRAU DE SANTIDADE SOBRENATURAL.
O Anjo é ONTOLÒGICAMENTE impecável na Ordem Natural, e nesta Ordem, não pode errar, embora possa ignorar. Até ao fim do mundo, o Anjo é também relativamente imutável, na exacta medida em que, logo após a sua criação no estado Sobrenatural, a decisão angélica, por Deus, ou contra Deus, POSSUI NATUREZA IMUTÁVEL; PELA PRÓPRIA CONSTITUIÇÃO ANGÉLICA, UMA DECISÃO TOMADA NÃO PODE SER ALTERADA, O ANJO NÃO PODE FAZER PENITÊNCIA. Mas como ministros de Deus, no governo do Universo, os Anjos desenvolvem – extrìnsecamente, pois encontram-se no Céu – uma actividade de execução daqueles decretos da Providência Divina, que podem e devem ser por eles realizados; na exacta medida em que tudo o que Deus criou é hierárquico, quer na natureza, quer na operação.
Cumpre assinalar, que após o Juízo Final, os homens também serão, ONTOLÒGICAMENTE, NÃO METAFÌSICAMENTE, imutáveis; quer no Bem Sobrenatural do Céu, quer no horror do Inferno.
Os Anjos bons – e na medida da permissão de Deus, para castigo dos homens, também os anjos maus – podem realizar prodígios com aparência de milagres, mas não verdadeiros milagres; por exemplo: Um santo Anjo da Guarda pode amparar eficazmente a queda de grande altura de uma pessoa; tal poderá ser considerado, aparentemente, um milagre, visto exceder, essencialmente, as possibilidades terrenas das forças em presença; mas é perfeitamente natural para o grande poder que o Anjo detém sobre a matéria. Logo o prodígio é preternatural, enquanto supera as forças deste pobre mundo, mas não Sobrenatural, AINDA QUE EXPRIMA UM DESÍGNIO DA PROVIDÊNCIA, QUE, ESSE SIM, É SOBRENATURAL, EMBORA A REALIZAÇÃO, EM SI, NÃO O SEJA.
Os santos Anjos não podem ressuscitar mortos, salvo como causa instrumental. Ressuscitar mortos constitui um verdadeiro milagre, Sobrenatural no desígnio Providencial e Sobrenatural na execução, pois só pode ser efectuada por Quem possui o Poder de criar – Deus Nosso Senhor. Também haverá doenças sobre as quais os santos Anjos não têm poder. Anàlogamente, não podem alterar a ordem do Universo.
É DE FÉ CATÓLICA DEFINIDA QUE, ALÉM DOS HOMENS, DEUS SÓ CRIOU OS ANJOS, COMO SERES ESPIRITUALMENTE INTELIGENTES; NÃO EXISTEM SERES EXTRA-TERRESTRES, E SE ALGUNS APARECEREM – SÃO DEMÓNIOS. Uma das mais eloquentes manifestações de politeísmo no mundo moderno, consubstancia-se precisamente no “culto dos ovnis”, tão improcedente do ponto de vista Filosófico e Teológico, como até do ponto de vista científico, mas que demonstra de forma ostensiva, a INDIGÊNCIA, A SUPERFICIALIDADE, A MEDIOCRIDADE, RELIGIOSA, INTELECTUAL E MORAL, DESTA CIVILIZAÇÃO.
Contudo, como se verifica no maravilhoso Livro de Tobias, os Anjos, para melhor auxiliarem os homens, podem às vezes, sob ordens de Deus, assumir forma humana, a qual sendo objectiva, permanece apenas no reino da sensibilidade aparente.
É de Fé Católica definida, que todos os baptizados possuem o seu Anjo da Guarda; sendo mais provável que o possuam também os não cristãos; isto acontece porque a hierarquia dos seres e dos fins, exige que os seres menos perfeitos sejam auxiliados pelos mais perfeitos, a atingir os seus fins, naturais e sobrenaturais. As dioceses, as ordens religiosas, e evidentemente a própria Santa Madre Igreja, também possuem os seus próprios Anjos da Guarda, sendo São Miguel o grande protector da Igreja de Deus.
O Anjo, pelo seu posicionamento ontológico, embora globalmente muitíssimo mais inteligente do que o Homem, apreende a realidade do conjunto da Criação de forma unilateral, pelo lado exclusivamente espiritual. Já o homem, haurindo o inteligível espiritual a partir do sensível material, possui um sentido mais profundo da riqueza analógica dessa mesma Criação.
A seita conciliar não gosta dos Anjos, e desde há muito que os desterrou para o campo mitológico, enquanto, aberrantemente, parece mesmo estimular o culto dos “ovnis”. Tudo isto, porque o mistério relativo da constituição ontológica e da personalidade angélica, que é uma constante Bíblica, INVOCA DIRECTA E PERMANENTEMENTE O MUNDO SOBRENATURAL, BEM COMO A ADORAÇÃO ABSOLUTA DEVIDA A DEUS NOSSO SENHOR, O QUE ABORRECE SOBREMANEIRA A NUNCA SUFICIENTEMENTE AMALDIÇOADA IGREJA CONCILIAR.
Exactamente por isso, nós devemos amar sobrenaturalmente os santos Anjos, como nossos irmãos mais velhos, que cuidam de nós como agentes da Divina Providência. Porque os santos Anjos não nos livram apenas de males corporais; graças ao grande poder que possuem sobre a matéria, podem SUGERIR-NOS bons pensamentos, boas acções; MAS NÃO DISPÕEM DA NOSSA ALMA.
Na hierarquia Sobrenatural do Universo, o ministério dos santos Anjos, GLORIFICA EXTREMAMENTE A DEUS UNO E TRINO, porque neles, a Imagem Natural e a Semelhança Sobrenatural de Deus Bendito, surge como a mais bela flor desabrochada pela Santidade Divina.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

Lisboa, 23 de Novembro de 2014

3 Respostas para “OS SANTOS ANJOS, MINISTROS DE DEUS, E BENFEITORES DOS HOMENS

  1. Jacob novembro 30, 2014 às 6:52 pm

    De acordo com os eventos de Fátima, podemos também afirmar que as nações possuem anjos (anjo de Portugal)? E quanto a outras entidades “políticas”?

    • Zoltan Batiz dezembro 1, 2014 às 2:25 pm

      Claro que sim. Mas isto resulta não só da Tradição, mas encontra-se na Sagrada Escritura.
      Além disso, cada igreja/capela/oratório, onde celebra-se a Santa Missa, tem um anjo, para observar as distracções. Porque escreveu São Paulo que as mulheres devem cobrir a cabeça na congregação por causa dos anjos? Um sacerdote, segundo a Sagrada Tradição, recebe um segundo anjo de guarda no acto de ordenação.

    • Pro Roma Mariana dezembro 1, 2014 às 5:11 pm

      Todas as entidades políticas terão o seu Anjo da Guarda. Todavia é de fé que as entidades politicas da antiga Tradição Católica o possuirão prioritàriamente.
      Alberto Neves Cabral

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

AMOR DE LA VERDAD

que preserva de las seducciones del error” (II Tesal. II-10).

Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

Radio Spada

Radio Spada - Tagliente ma puntuale

Catholic Pictures

Handmaid of Hallowedground

Hallowedground

Traditional Catholic Visualism

Acies Ordinata

"Por fim, meu Imaculado Coração triunfará"

RADIO CRISTIANDAD

La Voz de la Tradición Católica

%d blogueiros gostam disto: