Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

A CÁTEDRA DE SÃO PEDRO CONSTITUI A SUPREMA GARANTIA TERRENA DE VERDADE

Jesus e PedroLaAnunciacion07Anunciação à Virgem Maria

  • 25 de Março Encarnação do Verbo de Deus, que tem todo o poder no Céu e na Terra.

Beatíssima Virgem Maria concebida sem pecado Original, Medianeira de Todas as Graças e corredentora, rogai por nós nesta festa que lembra o maior evento na história, a Encarnação de Nosso Senhor no seio virginal de Maria, anunciada por São Gabriel Arcanjo.

 

*   *   *

Alberto Carlos Rosa Ferreira das Neves Cabral

Escutemos o Papa São Pio X, em passagens da sua encíclica “Sacrorum Antistitum”, promulgada a 1 de Setembro de 1910:

«Pensamos que a nenhum dos bispos seja desconhecido o facto de que os modernistas, pestífera espécie de homens, após terem sido desmascarados com a encíclica “Pascendi Dominici Gregis”, de 8 de Setembro de 1907, não abandonaram seu intento de perturbarem a paz na Igreja. Afinal, não deixaram de procurar novos sócios e reuni-los numa aliança clandestina, e com esses inocular nas veias da sociedade cristã o vírus das suas opiniões, com a publicação de livros e comentários, sem o nome do autor, ou usando pseudónimo. Se se considera atentamente essa enorme audácia, que nos trouxe tanta dor, após ter relido nossa mencionada carta, ficará claro que esses homens de tal comportamento não são diferentes dos que aí descrevemos, INIMIGOS TERRÍVEIS, QUANTO MAIS PRÓXIMOS ESTÃO, HOMENS QUE APROVEITAM O SEU MINISTÉRIO PARA LANÇAR A ISCA ENVENENADA NO ANZOL, PARA FISGAR OS INCAUTOS, DIFUNDINDO UMA APARÊNCIA DE DOUTRINA NA QUAL SE ENCERRA O COMPÊNDIO DE TODOS OS ERROS.
Com a difusão de tal peste numa parte do campo do Senhor, na qual se esperariam melhores frutos, como é função de todos os bispos empenharem-se na defesa da Fé católica, e vigiar com suma diligência a fim de que a integridade do Depósito Divino não sofra dano algum, do mesmo modo, cabe a nós, principalmente, pôr em prática os Mandamentos de Cristo Salvador, QUE A PEDRO – do qual, ainda que indignos, temos o Primado – disse: “CONFIRMA OS TEUS IRMÃOS”. Por essa razão, para que ao enfrentar o actual conflito, os ânimos dos bons sejam confirmados, retivemos oportuno… e mesmo ordenamos aos superiores das Ordens Religiosas: Advertimos os que ensinam, que não é sem grave prejuízo, que sobretudo no concernente á Metafísica, nos afastamos de São Tomás de Aquino : “UM PEQUENO ERRO NO INÍCIO, TORNA-SE GRANDE NO FIM”, diz o Aquinate.»

Não há maior desgraça, nem mais negra infelicidade, do que aquela da condição humana após o pecado original, sobretudo desde que foi privada, social e institucionalmente, da Bússola da Verdade e do Bem – a Santa Igreja Católica. É certo que os Bens da Redenção, sendo Eternos, continuam sempre presentes; O Santo Sacrifício da Missa, que é, incruentamente, o MESMO que o da Cruz, na sua unicidade transcendental, é contudo múltiplo na sua fenomenalidade terrena e temporal, TODAVIA É NESTA ÚLTIMA QUE SÃO APLICADOS OS FRUTOS DO ACTO REDENTOR, OU SEJA – O BENFAZEJO ORVALHAR CONCRETO DA GRAÇA DIVINA.
O Céu parece encerrado – MAS NÃO ESTÁ, NEM PODE ESTAR; assim possam os nossos méritos sobrenaturais atrair e fecundar a Fonte da Graça. É certo que a Graça nunca se merece, contudo, quando correspondemos à Graça, quando operamos sobrenaturalmente, como que constituímos uma condição intrínseca providencial de novas Graças.
Ninguém pode negar que a Humanidade, pela primeira vez na sua longa História – CAMINHA COMPLETAMENTE ÀS CEGAS; e até os descrentes respeitadores, isto é, não católicos, mas também não anti-católicos, demonstram, como já demonstraram há 50 anos, uma extraordinária sagacidade na escalpelização desta singular orfandade. E que ninguém afirme que a unidade racional do Género Humano é suficiente para o governo do mesmo; aliás, o ominoso século XX, com as suas guerras mundiais, com o nazismo  o estalinismo, o maoísmo, o Pol-Pot, e outras abominações, ostentou precisamente o oposto, no terreno prático.
Nosso Senhor Jesus Cristo, fundando a Sua Igreja, que quis com os pés bem assentes na Terra, mas irradiando e apontando, irrevogàvelmente, os caminhos do Céu; centralizando indefectìvelmente a Fonte de Unidade e Infalibilidade dessa mesma Igreja na Cátedra de São Pedro, constituída COMO SUPREMO ORGÃO TERRENO DE VERDADE E DE SANTIDADE, EM VIRTUDE DO SEU VÍNCULO DE DIREITO DIVINO SOBRENATURAL COM NOSSO SENHOR.
A condição do homem decaído só não é trágica para quem não medita nela; o perigo de naufrágio no relativismo e no niilismo é permanente e real, e actualmente é necessário um verdadeiro milagre moral para possuir a Graça Santificante e a Caridade.
Durante séculos, por maiores que fossem as trevas circundantes, por mais que os Bons fossem esmagados pelos maus, SEMPRE REFULGIU A LUZ DO SACRÁRIO, SEMPRE A PALAVRA DO VIGÁRIO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO INCENDIOU NAS ALMAS, COM A GRAÇA DE DEUS, O DESEJO DE SANTIDADE, O DESEJO DE UMA IDENTIFICAÇÃO SOBRENATURAL, CADA VEZ MAIS PROFUNDA, COM A LEI ETERNA. Mas desde há mais de 50 anos, que a suposta voz de Pedro é antes a voz do lobo disfarçado de ovelha, enviando as almas para o Inferno, como castigo dos nossos pecados. Porque a Cátedra de São Pedro NÃO RESPLANDECE COM LUZ PRÓPRIA – APENAS REFLECTE VICÁRIA E TERRENAMENTE A LUZ DE CRISTO. A CÁTEDRA DE PEDRO SÓ PODE IRRADIAR A LUZ DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, POIS CONSTITUI, NA TERRA, O ÚNICO CANAL QUE VINCULA TRANSCENDENTALMENTE A NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, verdadeiro Deus e verdadeiro Homem.
A Palavra de um verdadeiro Papa, enquanto Papa, pessoalmente indigno que seja, mesmo no seu Magistério autêntico, É ASSIM PALAVRA ETERNA DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO; é a Palavra que deve dissipar as trevas do ruído comunicacional humano, directamente causado pelo pecado original; é a Palavra que deve, necessàriamente, DESRELATIVIZAR o incessante pulular das humanas opiniões; é a Palavra, a qual participando em diversos graus da prerrogativa funcional da Infalibilidade, constitui, com a Graça de Deus, a adequada terapia para todas as loucuras humanas, individuais, familiares, sociais, e estatais.
A Cátedra de São Pedro deve exercer a Paternidade, E O ASCENDENTE SUPREMO, espiritual e temporal, sobre todos aqueles que chefiam os reinos terrenos, RATIFICANDO OU NEGANDO A SUA LEGITIMIDADE, pois que a legítima pluralidade de reinos terrenos, também consequência do pecado original, exige em absoluto ser reconduzida à suprema unidade Sobrenatural, garantia de um verdadeiro sentido para a vida individual, familiar, social e nacional.
O Magistério supremo desta Cátedra de Verdade e Santidade, deve irradiar pela SIMPLICIDADE SOBRENATURAL, participação da simplicidade Divina. São Pio V (1566-1572) e São Pio X (1903-1914) viveram sempre, particularmente, na modéstia e até mesmo numa digna pobreza, ainda que funcionalmente estivessem enquadrados pelo fausto devido à sua elevadíssima dignidade; insiste-se o fausto constitui-se apenas em honra de Deus, e dos homens enquanto servos qualificados de Deus. Neste contexto, o verdadeiro homem de Deus, neste caso o Romano Pontífice, deve egrègiamente saber harmonizar a simplicidade da pessoa na dignidade da função.
A Cátedra de São Pedro encarna hieràrquica e analògicamente aquele mesmo princípio de unidade que preside à Criação, cujo único Rei e Senhor é Deus Trino. Efectivamente, como já se afirmou, existe um só princípio de Unidade, de Indefectibilidade e de Infalibilidade, na Santa Madre Igreja – A CÁTEDRA DE SÃO PEDRO. Não existe um duplo princípio, inadequadamente distinto, de Unidade e Infalibilidade, que tal seria constituído pelo Papa, por um lado, e pelo conjunto dos Bispos, pelo outro, de modo a que nestes últimos residisse tal princípio, habitualmente, e só pudesse ser exercido, concretamente, com autorização do primeiro; foi esta a tese herética que triunfou no concílio vaticano 2. Todavia, a Verdade é outra: O poder Episcopal é, constitucionalmente, de Direito Divino e promana de Deus, MAS SEMPRE ATRAVÉS DO ROMANO PONTÍFICE, NÃO NO SEU EXERCÍCIO, MAS NA SUA MESMA ESSÊNCIA. Tal explica que o episcopado mundial só se constitua orgão colegial Jurídico-canónico mediante uma atribuição formal de poderes, outorgada pelo Romano Pontífice; como por exemplo, em Concílio Ecuménico.
Consequentemente, na Santa Madre Igreja, existe uma só CABEÇA TERRENA, que é o Romano Pontífice, cujos poderes funcionais foram definidos pelo próprio Nosso Senhor Jesus Cristo, que assiste o Seu Vigário na Terra – fundamentalmente após a primeira fase de constituição da Santa Igreja – com uma Providência ordinária, não milagrosa.
O espírito criado, a inteligência e a vontade, o Anjo e o homem, na Ordem Natural e na Ordem Sobrenatural – ASPIRAM À UNIDADE. Compreender é unificar; a definição da inteligência consiste precisamente nessa capacidade de captar a pluralidade aparentemente desconexa – REDUZINDO-A À UNIDADE DO PRINCÍPIO INTELECTIVO. Quanto maior é a luz intelectual natural, mais profundo se apresenta o anelo pela consagração do princípio inteligível, porque só este pode ser contemplado como um fim plenamente adequado à inteligência, ou pelo menos, como um meio, mas integralmente objectivo.
À unidade do princípio deve seguir-se a unidade da operação, pois que entre a inteligência e a vontade existe uma ESSENCIAL UNIDADE ONTOLÓGICA E TRANSCENDENTAL, COM FUNDAMENTO ABSOLUTO NO MISTÉRIO DA SANTÍSSIMA TRINDADE.
Por isso as asserções produzidas no que concerne às faculdades naturais aplicam-se com mais forte razão às faculdades acidentalmente Sobrenaturalizadas; com A ESPECIALÍSSIMA DIFERENÇA, de que os Bens Sobrenaturais, não os podemos conseguir por nós mesmos, nem em caso algum os podemos merecer – É DEUS QUEM NO-LOS FACULTA, QUANDO QUER, COMO QUER, E NA MEDIDA EM QUE QUER. Mas na Ordem Sobrenatural, o apelo, o anelo, à superior, à infinita unidade, é caracterizadamente indissociável do nosso organismo Sobrenatural, em especial dos Dons da Sapiência e Entendimento, pelos quais os Bens do Céu são colocados na nossa alma pelo Espírito Santo, TANTO QUANTO O PODEM SER A UM HOMEM MORTAL, cabendo a nós apenas acolhê-los, pois não são as nossas faculdades que os produziram, mas o AUTOR DE TODO O BEM.
Por tudo isto, Deus Nosso Senhor instituiu o Papado; para que a nossa suprema aspiração à unidade, natural e Sobrenatural, pudesse ser saciada, mesmo neste mundo, e em todos os planos e dimensões da vida, quer espirituais, quer temporais; para que essa Cátedra de Verdade nos libertasse dos horrores do relativismo, teológico, filosófico ou moral; para que essa Cátedra de Verdade, que o é também da Santidade, procedesse a uma das manifestações supremas da sua Infalibilidade – A PROCLAMAÇÃO SOLENE DAQUELES QUE ALCANÇARAM O MAIS ELEVADO GRAU DE DIGNIDADE A QUE PODE ANELAR CRIATURA HUMANA, E QUE NOS AMARAM TANTO, QUE TUDO DERAM PELA NOSSA SALVAÇÃO.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

Lisboa, 21 de Março de 2015

Alberto Carlos Rosa Ferreira das Neves Cabral

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

AMOR DE LA VERDAD

que preserva de las seducciones del error” (II Tesal. II-10).

Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

Radio Spada

Radio Spada - Tagliente ma puntuale

Catholic Pictures

Handmaid of Hallowedground

Hallowedground

Traditional Catholic Visualism

Acies Ordinata

"Por fim, meu Imaculado Coração triunfará"

RADIO CRISTIANDAD

La Voz de la Tradición Católica

%d blogueiros gostam disto: