Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

NOSSA SENHORA DAS MERCÊS E O ATUAL RESGATE CATÓLICO na hora das visitas dos «papas conciliares» a Cuba e à ONU

NSra Resgate 

Arai Daniele

Houve tempo em que os católicos se apelavam a Nossa Senhora para o resgate de prisioneiros em mãos de muçulmanos que punham suas cabeças a prêmio.

Formou-se então a Ordem de Nossa Senhora das Mercês, os Mercedários.

Nos nossos tempos parece que já estamos voltando a estes raptos com pedidos de resgate. Quanto ao delito, ficou ignorado porque são os mesmos países da antiga Cristandade, como França e Inglaterra, a discriminar contra cristãos. Veja Fratres in Unum (21 set): O alarme do Arcebispo da Cantuária: “Apenas os refugiados dos acampamentos da ONU? Mas ali os islamitas expulsam os cristãos”. Na França, por sua vez, há “exigências específicas”. Por Tempi | Tradução: Gercione Lima – FratresInUnum.com: Inglaterra e França se comprometeram a acolher, respectivamente, 20 mil e 24 mil imigrantes, mas as regras estabelecidas por ambos os governos discriminam os cristãos. Ver também «Estremisti indù: “O la vita o Cristo”», agerecontra.it, (17 set). Não só, mas já nas barcaças de «refugiados» há casos de cristãos eliminados por muçulmanos. Um foi preso na Itália.

É claro que as defesas cristãs foram desguarnecidas depois das aberturas do Vaticano ao mundo que já odiava os cristãos porque odeia Nosso Senhor Jesus Cristo.

Assim é que o estado de necessidade da hora presente apresenta-se como resgate de cristãos católicos em relação a todos e especialmente aos falsos mestres conciliares, não só indiferentes diante de poderes anti- cristãos, que aprisionam cristãos pelo mundo afora, mas como autores de doutrinas que aprisionam suas almas em graves erros dos quais decorre a falta de defesa e entrega da Religião única aos verdugos seus inimigos.

Exemplo disso é a operação ecumenista. Com esta, a nossa Religião, de Deus Uno e Trino, é posta ao nível de outras ditas monoteístas porque consideram um só Deus. Mas se não professam como Deus se revelou, não podem pregar a verdade. Todavia, hoje, quem lembra isto e rejeita essas mentiras é caluniado e isolado, por aqueles que se apresentam como autoridades católicas!

Ora, hoje mais de acusar heresias, haveria que acusar os que invertem ou desviam da verdade, na qual está inserida a vida e a razão do ser humano; da verdade revelada que não só acusa mas defende do mal que deforma a visão das almas. Cada uma das heresias é ataque específico da Verdade.

Há, pois, uma sorte de «ecumenismo» também político, que inclui a «fé» e o «culto do homem», aquele acolhido por Paulo 6º no discurso de encerramento do vaticano 2. Este procede pois da Revolução e se alastra no mundo; do nosso lado nas Américas, principalmente a partir de Cuba e do Foro de São Paulo, que tem uma base na religião alterada com a «teologia da libertação? Não deve então ser claro para um católico que é destes enleios ideológicos ocultos que nossos povos devem ser resgatados? Como são ocultos, porém, há que conhecer sua base real, e esta não pode ser outra que a nova «religião» conciliar aberta para as liberdades e ideologias do mundo moderno.

Esse abate sistemático das suas defesas ao nível teológico, moral e intelectual é feito através das idéias de abertura ao mundo. Neste sentido é interessante a palestra do nosso preclaro pensador Gustavo Corção que, afrontando o seu amado filósofo Maritain dos anos iniciais da grande crise presente, acusa essa inversão nos anos que precederam a 2ª Grande Guerra com a revista «Esprit» de Mounier, cuja data de fundação, 1932, foi tida como o ponta pé de partida de um novo espírito, porque o mal da Igreja católica seria o «fechamento» ao mundo inimigo! Idéia que vingou e foi exportada no mundo pelos teólogos» da abertura, infestando o catolicismo brasileiro com o famoso Tristão de Ataíde. Mais tarde levou à eleição de modernistas entreguistas, para os quais não era mais o caso de denunciar heresias e muito menos o modernismo, que poude  alastrar-se e a Igreja foi aberta à sistemática destruição do Cristianismo: hoje a religião mais perseguida. Um fato histórico resumido na visão de Fátima.

Qual o resgate católico de Nossa Senhora de Fátima?

Para enfrentar qualquer mal há que reconhecer as suas causas. Descrevemos o fato «histórico» do obstáculo aos erros e heresias, do Papa católico abatido e substituído pelos clérigos modernistas promotores da grande entrega da Fé ao mundo ateu em nome do mandato apostólico; isto ocorreu especialmente reconhecendo o «direito à liberdade religiosa» que, pelo seu objetivo superior, compreende toda outra liberdade, mesmo anular a liberdade da Igreja.

O católico na sua resistência quase invencível a contestar a santidade do cargo papal não soube até hoje bem reagir aos invasores clericais; já ouvimos até monges eruditos dizer que é melhor ter um papa herético do que nenhum! É o entreguismo que contamina as consciências conformadas com uma ruína sem precedentes e por isto esquecidas do urgente dever de remontar às causas para saná-las. Esta podia ter sido vista na estranha «teologia» que levou ao escândalo espantoso da reunião das religiões em Assis.

De fato, o sincretismo da «união» de Assis é o pior de todos – é a apologia da falsa paz que visando a reconciliação global, também de opostas religiões que se revela privado até do senso religioso natural substitído pela sabedoria invertida da Teosofia, da Antroposofia e das lojas, cuja guerra contra o Cristianismo é integral e se completou com a ocupação complacente da Sede apostólica e depois com a doutrina do Vaticano 2.

Tal é o espírito conciliar, cujo ecumenismo não opera só no campo religioso, mas global, incorporando toda idéia de direitos, mesmo revolucionários. Todas, no sentido daquela Fraternidade universal, estranha só à idéia de Deus Pai e de Jesus Cristo, embora Seu Nome seja invocado pelos falsos cristos e falsos profetas: apóiam-se no Cristianismo, isto é, ao nome de Cristo, para realizar o pacto da aliança total que Ele teria «falhado»! Querem superá-Lo em sabedoria e bondade! É a «nova teologia» para realizar um «cristianismo integral». Se Paulo 6º foi admirador de Maritain e protetor dos novos teólogos, João Paulo 2º não só os cobriu com o chapéu cardinalício, mas aplica as novas intuições à própria obra na prática; complementa em Assis a sua paz antroposófica. Esta introdução na Igreja do espírito adversário de Deus e dos homens é o “mistério de iniqüidade”; este rege-se no paradoxo da nova autoridade aceita pela imensa maioria como representativa de Jesus Cristo, mesmo se abre à «teologia» de entrega de Sua Igreja ao mundo.

Basta refletir um pouco sobre as ‘teologias’ modernas para ver quanto são intentas a mutação do cristianismo no panteísmo sem limites exaltado por Teilhard de Chardin. Trata-se, mais que de heresia, da gnose assassina que abate as defesas do Cristianismo, tornando-o a religião mais perseguida do mundo em qualquer estatística.

Aqui vale então o intuito de G. K. Chesterton: “Hoje o criminoso mais perigoso é o filósofo moderno, emancipado de toda lei”; “da lei de Deus que é o Evangelho, e emancipado da lei natural que é o Decálogo”; reforça Jean Madiran, que continua: “A filosofia moderna não é, essencialmente, filosofia, é atitude religiosa… uma contra-religião natural, o oposto dos primeiros quatro mandamentos do Decálogo”… “A formidável heresia do século XX consiste em afirmar coisas que não são verdades em nenhuma ordem real, em nenhum domínio do ser, que parecem reais só no âmbito da filosofia moderna em especial marxista, e que fora desse delírio ideológico nem têm sentido real” (L’eresia del XX secolo, Volpe, Roma, 1972). Trata-se da grande heresia demolidora da Fé, intrínseca ao Vaticano 2.

Os «papas conciliares» iniciados no mundialismo ecumenista

Tratando desta heresia posta em ato pelos modernistas alçados ao poder na Igreja, não se pode separar a de Roncalli, João 23, da de Montini, Paulo 6º, das iniciativas de seus sucessores. Quando se diz que João Paulo 2º foi quem derrubou o comunismo, se esquece que foi justamente ele que operou para a aceitação da política do comunismo coberto na perestroika de Gorbachev.

Muitos são os planos para realizar a síntese humanitária iluminada, a união mundial com uma só super Religião. Isto deriva de uma «filosofia das luzes» que Bento 16 recomendou até para os Muçulmanos, que deveriam pensar em ter o seu Vaticano dois que aprova todo plano de poder mundial iluminado. É o martinismo: ordem iluminada que situa-se entre a Maçonaria e o mundo espiritual oculto de origem rosacruciana. Veja-se o seu ‘Manifesto dos Superiores incógnitos’ (1793) para a «Grande Igreja Universal de todos os homens reunidos na Religião Única de diversos cultos e fórmulas dogmáticas» (Epiphanius, p.75). Esse Martinismo… pretende “regenerar” a Igreja católica com idéias Rosacruz pelo processo de infiltração, sobreposição e abate, na fusão sincretista das crenças (cf. Pierre Virion, Mystère d’iniquité, Ed. St. Michel, Rennes, 1967).

Nações unidas, Igreja conciliar e mundialismo

O presidente americano, o maçom presbiteriano Wilson, grande patrocinador da antiga Sociedade das Nações, dizia desta: “Nós faremos através dela o que o Cristianismo não conseguiu: unir os povos”. (P. Virion, Bientôt un gouvernement mondial? Une super et contre-Igreja”, Ed. St. Michel, 1967). Quando se delineou o fracasso dessa primeira sede mundialista já havia um projeto para organizar a segunda, cuja autoridade real, conforme as idéias de Comenius e do ‘iniciado’ Saint-Yves D’Alveydre, está nocentro (sob o grande irmão) scima do poder aparente: uma autoridade normativa que empregaria a pedagogia para formar a consciência mundial (teoria do gender etc.).

Conhecendo o plano sinárquico, entende-se que a ONU foi concebida para ser animada pelo espírito que dirige um plano de educação, ciência e cultura, para formar essa nova “consciência mundial: a UNESCO”. Tudo isto encontra sua ‘dimensão sacra’ na fé dos direitos do homem, cujo ponto focal é o direito à liberdade religiosa de marca revolucionária. Tal idéia representando a exautoração do culto e da autoridade de Deus na Igreja católica, foi sempre repelida pelos Papas. Servia promover quem a acolhesse como cristã. Ora, Paulo 6º, dias antes que o Vaticano 2º declarasse com a DH aquele “direito”, foi à ONU e ali reconheceu a: “ratificação moral e solene da instituição … estrada obrigatória da civilização moderna… última esperança da concórdia… reflexo dos desígnios de Deus… onde vemos a celeste mensagem evangélica tornar-se terrestre”.

Com tal espírito de reverência, recolheu-se em seguida a rezar na ‘sala de meditação’ do Ser Supremo, daquele palácio. Tal é o espírito que impregnou as visitas à ONU de João Paulo 2º, cuja difusão da idéia conciliar de uma nova Pentecostes, idéia enriquecida por uma nova consciência de Igreja derivada de uma nova doutrina de redenção universal. Eis que dia 4.11.86, na celebração do 40° aniversário da UNESCO, era erguida no lugar de honra a sua foto gigante, celebrando assim a abertura de João Paulo 2º. É a mesma ONU que com seus tentáculos culturais, promove o aborto e o abate da moral cristã para os povos, mas é exaltada por quem se apresenta como Autoridade apostólica, de Paulo 6º a João Paulo 2º a Bento 16 e agora a Bergoglio.

As visitas dos «papas conciliares» a Cuba e à ONU

A atual viagem de Jorge Bergoglio a Cuba e à ONU é ocasião para que muitos entendam toda a trama atrás disso. Mas aqui aparece uma ulterior trave para o entendimento de tudo o que está em jogo: limitar o problema a Bergoglio, como se fosse um promotor isolado de todo o mal insuflado pelo Vaticano 2.

Hoje se vê tantos a acusar e distanciar-se de Bergoglio «papa», por ex. Olavo de Carvalho, Paul Kramer, Antonio Socci, e os que o traduzem e publicam, como Fratres in Unum. Nem todos nem sempre o fazem por razões ligadas à Fé, não a «fé» do Lula nem do Morales, que aceitam contentes a «religião» inaugurada por João 23, o qual apoiou a “fé revolucionária” e estimulou a adesão ao marxismo com a «Pacem in terris» (PT que nas eleições italianas de então possibilitou mais de um milhão de votos aos comunistas). Esta PT no Vaticano 2 foi a base para a «Dh» da liberdade de consciência e de religião. Seguiu Montini, Paulo 6º, que já fazia alianças com as esquerdas no tempo de Pio XII. Depois veio João Paulo 2º que parecia anticomunista mas reciclou o leninismo de Gorbachev, etc. A colocá-los, porém, com Ratzinger, no rol dos heresiarcas,  foi a doutrina que promoveram com o Vaticano 2, veneno que os católicos devem reconhecer para saber que o verbo do Bergoglio é tudo isto junto professado de modo mais escachado. Todos estão sob as condenações do Código de Direito Canônico da Igreja se este fosse aplicado.

Estes conciliares pregando a redenção na medida da apostasia geral pregam a última revolução, invertendo a Revelação, de cristocêntrica a antropocêntrica, o que também inverte a base da autoridade segundo a Fé, pela qual toda ordem e a autoridade vem de Deus. Vê-se assim qual seja a causa eficiente da demolição da Fé na Igreja e da Cristandade:o abate do Papa Católico apostólico romano (cf. o Segredo de Fátima) substituído pela falsa autoridade conciliar, da qual a Igreja precisa ser resgatada após o longo interregno de ilusões e enganos, que parece sem fim.

Não há outra saída. Deus age através do homens e da Lei de Sua Igreja. Nela se deve suplicar Sua ajuda para reaver um papa católico para restaurar a Fé. Parece hoje impossível, mas o sinal milagroso para o autêntico resgate católico já foi dado por Nossa Senhora de Fátima: “Por fim o meu Imaculado Coração triunfará. O Santo Padre consagrar‑me‑á a Rússia, que se converterá, e será concedido ao mundo algum tempo de paz.” Salve Maria, Nossa Senhora das Mercês!

Quem senão à Mãe de Deus pode ter sido dado de resgatar seus filhos nesse mundo desvairado por males que atingiram até a Cidadela romana?

Uma resposta para “NOSSA SENHORA DAS MERCÊS E O ATUAL RESGATE CATÓLICO na hora das visitas dos «papas conciliares» a Cuba e à ONU

  1. Jacob setembro 24, 2015 às 9:52 am

    Como esses traidores de Nosso Senhor, esses arrogantes que proclamam a obsolescência de uma instituição divina, que metem nela suas patas imundas para “reformá-la” e “atualizá-la” de acordo som sua soberba humana, como eles conseguem repousar a cabeça num travesseiro e dormir, à noite? Terão eles ideia do que lhes espera após a morte?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

AMOR DE LA VERDAD

que preserva de las seducciones del error” (II Tesal. II-10).

Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

Radio Spada

Radio Spada - Tagliente ma puntuale

Catholic Pictures

Handmaid of Hallowedground

Hallowedground

Traditional Catholic Visualism

Acies Ordinata

"Por fim, meu Imaculado Coração triunfará"

RADIO CRISTIANDAD

La Voz de la Tradición Católica

%d blogueiros gostam disto: