Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

TODA A VERDADEIRA SUBLIMAÇÃO PROCEDE DA GRAÇA

Cura d'ArsAlberto Carlos Rosa Ferreira das Neves Cabral

 

Escutemos o Papa São Pio X, em passagens da encíclica “Haerent Animo”, promulgada em 4 de Agosto de 1908:

«Em verdade, a única coisa que une o homem a Deus, que o torna agradável a Ele, e o constitui digno ministro da Sua Misericórdia É A SUA SANTIDADE DE VIDA E DE COSTUMES. Essa é, substancialmente,  a perene ciência de  Nosso Senhor Jesus Cristo – E SE O SACERDOTE A NÃO POSSUI FALTA-LHE TUDO.

A mais vasta cultura – que nós próprios procuramos promover entre o clero – como também a habilidade prática, se não existe a santidade, podem ser, sim, de alguma utilidade à Igreja e aos indivíduos, mas não raro acabam por atrair para si deplorável dano.

Ao invés, o santo, também se constituído no grau mais humilde, é capaz de empreender e conduzir a bom termo MUITÍSSIMAS OBRAS DE GRANDE UTILIDADE AO POVO DE DEUS. Inúmeros exemplos em todos os tempos testemunham-no. Bem recente e insigne é aquele de João Baptista Vianey; para o qual estamos alegres de haver decretado as honras dos beatos.

Finalmente, sòmente a Santidade nos faz compreender o que o chamado de Deus requer de nós, isto é, homens crucificados para o mundo, e para os quais Cristo foi crucificado; homens que vivem a nova vida; homens que, nas palavras de Paulo, demonstram-se ministros de Deus, “nas fadigas, nas vigílias, nos jejuns,  pela pureza, pela ciência, pela paciência, pela bondade, pelo Espírito Santo, pelo amor sem fingimento,  pela Palavra da Verdade”  (I Cor 6, 5 e ss); homens que tendem ùnicamente para o Céu, ansiosos de conduzir os outros a todo o custo.

Sabe-se que a Santidade é fruto da nossa vontade, à medida que a nossa vontade é socorrida pela Graça Divina. Eis porque  essa Graça foi posta por Deus à nossa disposição de modo que, se o desejamos, essa nunca nos faltará. O primeiro meio com que nós a podemos obter é a oração. Oração e Santidade estão interligadas entre si, uma não pode subsistir sem a outra. Corresponde à verdade o pensamento de Crisóstomo: “Creio que seja evidente para todos que é simplesmente impossível conduzir vida virtuosa sem a oração”. E santo Agostinho, com agudeza, chega a esta conclusão: “Sabe verdadeiramente viver bem – QUEM REZA BEM.”»  

 

Em Teologia, costuma aplicar-se o termo “sublime” para designar a elevação ao infinito Divino do conjunto das perfeições criadas; nestas existe uma distinção real entre as referidas perfeições; na Natureza Divina, na Essência Divina, essa distinção é virtual maior, ou seja o mesmo tipo de distinção que existe entre os Transcendentais Metafísicos: Unidade, Verdade, Bondade. Por exemplo: Em certo sentido e num plano analógico contingente e material, o Sol, enquanto é fonte global de energia para toda a Terra, contém nessa energia radiante o princípio motor global da natureza. Efectivamente, os raios solares são essenciais a função clorofilina na qual as plantas sintetizam matéria orgânica e libertam oxigénio; essa matéria orgânica servirá também de alimento aos animais. Por sua vez, o calor do sol, moderado pelos oceanos e pela inclinação do eixo da Terra (tudo pensado pela Inteligência Divina), torna possível o florescimento da vida, e a variedade de fauna e flora. Mesmo o carvão e o petróleo só podem existir em consequência da energia irradiada pelo sol; sem este, aliás, não haveria, nem luz, nem água, nem qualquer actividade físico química, com excepção da procedente da estrutura íntima da matéria, como radioactividade e fenómenos afins. Daqui se infere que toda a vida da Terra reside, como que virtualmente, na actividade solar.

Anàlogamente, mas agora no campo metafísico, diremos que DEUS CONSTITUI O SOL DA CRIAÇÃO; É DEUS QUEM CONFERE O SER METAFÍSICO ÀS CRIATURAS, E CONFERINDO-O FINITIZA-AS, POR ISSO AS DIVERSAS PERFEIÇÕES CRIADAS RESIDEM VIRTUALMENTE EM DEUS, SÃO SUBLIMADAS EM DEUS. A Eternidade, que supera e sublima infinitamente o tempo, não é a simplicidade, que infinitamente sublima a noção imperfeita de composição, MAS EM DEUS, A SUA ETERNIDADE É A SUA SIMPLICIDADE E VICE-VERSA.

Por outro lado, em Deus, na Natureza Divina, a Inteligência e a Vontade distinguem-se também virtualmente, na exacta medida em que são SUBSTANCIAIS, não constituem faculdades, como nos Anjos e nos homens; todavia no Mistério da Santíssima Trindade, as Três Pessoas SÃO REALMENTE DISTINTAS. Tal não introduz nenhuma composição em Deus, precisamente porque a Inteligência Infinita que Se conhece Infinitamente a Si mesma; e a Vontade Infinita que Se quer e ama Infinitamente a Si mesma; necessàriamente, na Sua Infinitude, têm igualmente de ser Pessoais, no sentido em que constituem fundamento da Geração do Verbo, como da Espiração do Espírito Santo; e as Pessoas têm, evidentemente, que ser distintas entre Si.

Neste quadro conceptual, o Acto da Criação finitiza e diversifica as criaturas segundo essências hierarquizadas numa composição de raiz metafísica ESSE-ESSÊNCIA. O anátema ao princípio da liberdade religiosa fundamenta aqui a sua base metafísica: ASSIM COMO SÓ HÁ UM DEUS, UMA SÓ SANTÍSSIMA TRINDADE, SÓ HÁ UM SER TRANSCENDENTAL, DO QUAL TODA A CRIAÇÃO PARTICIPA, E TUDO O QUE NÃO É SER – É NADA! CONSEQUENTEMENTE SÓ PODE HAVER UMA RELIGIÃO.

A definição de sublimação, há pouco enunciada, consubstancia uma ordem ontológica. Todavia, na ordem lógica, é igualmente possível considerar uma realidade que se pode e deve denominar sublimação; refere-se aos Dons do Espírito Santo, enquanto eles logram condensar, sobretudo na Sapiência e no Entendimento, UMA INFINITA RIQUEZA DOUTRINAL E MORAL, COM ELEVADÍSSIMA EXTENSÃO E MÁXIMA COMPREENSÃO, em pouquíssimas, OU ATÉ NUMA SÓ, espécies inteligíveis e volitivas Sobrenaturais, produzisdas directamente por Deus nas nossas faculdades. Neste enquadramento, uma mesma realidade doutrinal adquire uma  muito mais rica informação ontológica se for concentrada num mínimo de espécies inteligíveis – O QUE SÓ PODE SUCEDER, PRECISAMENTE, NOS DONS DO ESPÍRITO SANTO. É igualmente o que se verifica nos Anjos mais perfeitos em relação aos Anjos menos perfeitos.        

O termo “sublimar” aplica-se igualmente, com certa analogia, ao campo psicológico, indicando como que uma purificação das más energias, das más inclinações. No plano estritamente natural e humano, pode-se, sem dúvida, conceber que determinadas realidades, ao impôr-se psicològicamente, assimilem certas energias de móbil que até aí se encontravam investidas em  objectos pecaminosos. O móbil constitui como que a energia biológica dos seres humanos, naquilo que o homem, animal racional, possui precisamente de animal e que é constitutivo do apetite irascível e do apetite concupiscível. Os Anjos não possuem móbil. Essa energia é necessária para a operação humana; essa é mesmo a razão profunda pela qual um homem que necessita de coragem, legìtimamente bebe, pois que o móbil que encontra em si é insuficiente para a acção que pretende concretizar. Quando se diz, por exemplo, que um crime foi premeditado, pretende significar-se que nesse crime a razão do motivo racional foi determinante – agravando-o. Quando se afirma que foi um crime passional, pretende significar-se que nele foi preponderante um móbil excessivo e desproporcionado ao motivo – podendo atenuar a responsabilidade moral e legal.

Assinala-se o como é imperioso que o motivo racional governe o móbil, facultando-lhe a medida exacta para cada momento. Ora isto não se pode conseguir sem a Graça Medicinal e sobretudo sem a Graça Santificante. A Graça Medicinal é-nos concedida em ordem aos Bens Sobrenaturais e possui carácter Preternatural, ou seja, excede as exigências da natureza humana, mas é essencialmente inferior à Graça Sobrenatural. Tal como a expressão no-lo diz, a Graça Medicinal ajuda a sarar as feridas da natureza,que são consequència do pecado original, preparando-nos pròximamente para a elevação ao estado Sobrenatural. Trata-se todavia de uma preparação extrínseca, porque a Graça Sobrenatural está infinitamente acima da ordem Preternatural.

Só a Graça Sobrenatural nos pode verdadeiramente, não apenas estabelecer sòlidamente nos Hábitos das Virtudes Morais Sobrenaturais, como ainda, muito mais ainda que a Graça Medicinal, expurgar o mau móbil, eliminando-o, ou SOBRENATURALIZANDO-O PELA SUA INCORPORAÇÃO EM OPERAÇÕES MERITÓRIAS PARA A NOSSA SALVAÇÃO. Nunca olvidar que A GRAÇA EXTINGUE TENDENCIALMENTE A CONCUPISCÊNCIA, OU SEJA, ORDENA E RECTIFICA TODO O NOSSO SER, EM TODAS AS SUAS CAMADAS, SEGUNDO UMA UNIDADE DE ENTENDIMENTO E ACÇÃO SOBRENATURAL. A Graça Medicinal dirige-se mais ao refrigério do móbil excessivo ou desordenado; mas a Graça Santificante com seus consectários – os Dons do Espírito Santo – ordenam primàriamente o motivo intelectual, e sobrenaturalizando-o, governam também o móbil.

A concupiscência releva do aviltamento da hierarquia e da nobreza dos motivos, sobretudo porque oblitera a disciplina das energias irascível e concupiscível.

Uma pessoa sempre cheia de enormes tentações NÃO TEM A GRAÇA SANTIFICANTE, porque como se referiu, esta última unifica sublimada e sobrenaturalmente todo o composto corpo-alma.

Mas então, e se resistir às tentações? Para resistir meritòriamente às tentações é necessàrio proceder por motivos Sobrenaturais, não por conveniências humanas e terrenas. Sem dúvida que até um santo pode ter tentações – mas moderadas.

Conclui-se que as sublimações do mundo são vãs, falsas, e de nada servem, nem podem servir, para a salvação Eterna. Pior ainda: FORAM AS FALSAS SUBLIMAÇÕES QUE POR IGNÓBIL IRRISÃO A MAÇONARIA INVENTOU PARA “AUXILIAR” OS PADRES MODERNOS A CONSERVAR A CASTIDADE – QUE PROVOCARAM NELES A PEDERASTIA. TUDO ALIÁS FOI PREMEDITADO PARA DETERMINAR UM TAL RESULTADO.

Só no seio Eucarístico de Nosso Senhor Jesus Cristo e no grémio da Santa Madre Igreja, sob a Mediação de Maria Santíssima, podemos encontrar o alívio de todas as nossas misérias, e a consolação para todas as dores deste pobre mundo. Sòmente na vida Sobrenatural, que nos enxerta no Corpo Místico e nos eleva àquela grande sublimação de faculdades, que só a participação na Natureza Divina pode conferir, só aí, poderemos realmente contemplar: A UNICIDADE ABSOLUTA DE DEUS, A UNICIDADE DO SER, A UNICIDADE ABSOLUTA DA SACROSSANTA RELIGIÃO CATÓLICA.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

Lisboa, 7 de Abril de 2016

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

AMOR DE LA VERDAD

que preserva de las seducciones del error” (II Tesal. II-10).

Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

Radio Spada

Radio Spada - Tagliente ma puntuale

Catholic Pictures

Handmaid of Hallowedground

Hallowedground

Traditional Catholic Visualism

Acies Ordinata

"Por fim, meu Imaculado Coração triunfará"

RADIO CRISTIANDAD

La Voz de la Tradición Católica

%d blogueiros gostam disto: