Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

NOVO GESTO TEATRAL DO TRAIDOR FELLAY

fellay+berg

  • LE CATHOLICAPEDIA BLOG a posté un nouvel article :
  • La Fraternité dite de Saint Pie X est désormais reconnue par Rome depuis fin juin 2016. L’information a été occultée.
  • Mgr Alfonso Ruiz de Galarreta, F$$PX, l’a révélé lors de son Sermon à St-Nicolas-du-Chardonnet pour l’Ordination de l’abbé Sabur. Et alors certains, évidemment, disent que nous avons tort et que nous sommes des schismatiques, que nous sommes des illégaux dans l’Église, et déjà, cher Abbé vous avez eu un peu à rentrer, comme un bon soldat du Christ, dans les combats de Dieu. Donc vous avez dû donc souffrir cette persécution dont nous parle saint Paul : « Ceux qui veulent vivre pieusement dans le Christ Jésus souffriront persécution». Et alors le Patriarche de Babylone, qui est chaldéen, dit que nous sommes schismatiques. Et l’Ordinaire en France pour les Églises orientales dit que nous sommes des illégaux. Or le Pape lui-même dit que la Fraternité, nous sommes des catholiques. Alors nous sommes des catholiques ou nous sommes des schismatiques ? J’ai avec moi la lettre qui m’a été donnée par Son Excellence Monseigneur Fellay, où la Congrégation de la Doctrine de la Foi nous dit, a dit à Monseigneur, que nous pouvons procéder aux ordinations sans demander la permission des Ordinaires du lieu ; qu’il suffit de leur donner les noms des ordonnés, chose que nous ferons bien sûr, opportunément. Alors nous ne sommes ni schismatiques, ni des illégaux.
  • Alors pourquoi agitent-ils cet épouvantail, vous voyez de la légalité, si nous sommes en règle canoniquement ou pas, du schisme alors qu’il n’y en a pas et que Rome même le reconnaît ? (Mgr de Galarreta, le 2 juillet 2016 à St-Nicolas-du-Chardonnet)

 

  •   *  *  *

NOVO GESTO TEATRAL DO TRAIDOR FELLAY

Alberto Carlos Rosa Ferreira das Neves Cabral

Escutemos o Papa São Pio X, em excertos da sua Carta Apostólica “Notre Charge Apostolique”, promulgada em 25 de Agosto de 1910:

«Queremos chamar vossa atenção, Veneráveis irmãos, sobre esta deformação do Evangelho, e do Carácter Sagrado De Nosso Senhor Jesus Cristo, Deus e Homem, praticada no “Sillon” e algures. Desde que se aborda a questão social, está na moda, em certos meios, afastar primeiro a Divindade de Nosso Senhor, e depois só falar da Sua Soberana mansidão, da Sua compaixão por todas as misérias humanas, de Suas instantes exortações ao amor do próximo e à Fraternidade. Certamente, Jesus amou-nos com um amor imenso, infinito, e veio à Terra sofrer e morrer, a fim de que, reunidos em redor d’Ele, na Justiça e no Amor, animados dos mesmos sentimentos de mútua Caridade, todos os homens vivam na Paz e na Felicidade (Sobrenatura). Mas para a realização dessa felicidade temporal e Eterna, Ele impôs, com Autoridade Soberana, A CONDIÇÃO DE SE FAZER PARTE DO SEU REBANHO, de se aceitar a Sua Doutrina, de se praticar a virtude, E DE SE DEIXAR GUIAR E ENSINAR POR PEDRO E SEUS SUCESSORES. Além disso, se Nosso Senhor foi bom para com os transviados e os pecadores, NÃO RESPEITOU AS SUAS CONVICÇÕES ERRÓNEAS, POR SINCERAS QUE PARECESSEM; amou-os a todos para os instruir, converter e salvar. Se chamou junto de Si, para os consolar, os aflitos e os sofredores, NÃO FOI PARA LHES PREGAR O ANSEIO

DE UMA IGUALDADE QUIMÉRICA. Se levantou os humildes, não foi para lhes inspirar o sentimento de uma dignidade independente e rebelde à obediência. Se Seu Coração transbordava de mansidão pelas almas de boa vontade, soube igualmente armar-se de uma santa indignação contra os profanadores da Casa de Deus, contra os miseráveis que escandalizam os pequenos, com as autoridades que acabrunham o povo com a carga de pesados fardos, sem aliviá-la sequer com  um dedo. JESUS FOI TÃO FORTE QUÃO DOCE; repreendeu, ameaçou, castigou, sabendo e nos ensinando que muitas vezes O TEMOR É O COMEÇO DA SABEDORIA, E QUE ÁS VEZES CONVÉM CORTAR UM MEMBRO PARA SALVAR O CORPO. Enfim, Nosso Senhor não ensinou para a sociedade futura o reinado de uma felicidade ideal, de onde o sofrimento fosse banido; mas por lições e exemplos, traçou o caminho da felicidade (sobrenatural) possível na Terra e da felicidade perfeita no Céu: A ESTRADA REAL DA CRUZ.

Estes são ensinamentos que seria errado aplicar sòmente à vida individual, em vista da salvação Eterna; SÃO ENSINAMENTOS EMINENTEMENTE SOCIAIS, E NOS MOSTRAM EM NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, NUNCA UM HUMANITARISMO SEM CONSISTÊNCIA E SEM AUTORIDADE.»

 

Em comunicado emitido no passado dia 29, Fellay, simulando uma certa correcção de objectivos, reafirma, contudo, todas as teses que estão conduzindo à completa ruína a Fraternidade que FOI DE SÃO PIO X.

Fellay admite um estado de confusão dolorosa na Igreja. Admite erros cometidos pelos bispos e pelo papa. Fellay parece que está a falar em meados dos anos sessenta, e mesmo assim já seria excessivamente brando. Os “erros” que admite, não são erros, mas APOSTASIA HABITUAL, QUE JÁ ATINGE A TERCEIRA GERAÇÃO. Fellay exprime-se exactamente como se a Santa Igreja estivesse a ser vítima de qualquer acontecimento mais ou menos inconveniente. Mas está enganado! Não nos encontramos perante uma mesma substãncia, afectada, com maior ou menor gravidade, por determinados acidentes; E NÃO, PORQUE NÃO HÁ IDENTIDADE DE SUBSTÃNCIA: FOI A SACROSSANTA RELIGIÃO CATÓLICA QUE, COMO REALIDADE SOCIAL E CULTURAL, FOI SUBSTITUÍDA PELA ANTI-RELIGIÃO DO ANTI-CRISTO – era isto que Fellay deveria reconhecer. Que uma Religião, PRECISAMENTE A RELIGIÃO REVELADA, havia sido substituída pelos seus antípodas, já  Monsenhor Lefebvre o reconhecia em 1990. É certo que Fellay reconhece que o culto de Deus foi substituído pelo culto do homem, MAS PROCEDE A ESSE RECONHECIMENTO, NA BASE DE UMA MESMA INSTITUIÇÃO FORMAL, COM BISPOS E PAPAS PERMANENTEMENTE, DIUTURNAMENTE, VERDADEIROS. Aqui reside a apostasia de Fellay: UMA MESMA INSTITUIÇÃO FORMAL E DUAS RELIGIÕES. POSSUINDO OS BISPOS E PAPAS JURISDIÇÃO VÁLIDA PARA AMBAS AS RELIGIÕES. Isto é tanto mais monstruoso, quanto o próprio São Paulo nos avisou:” Se eu mesmo, ou um Anjo do Céu, trouxer outro Evangelho diferente do que recebestes – seja anátema!”  Mas para Fellay, não, os autores do anti-evangelho do anti-Cristo, são verdadeiros bispos e verdadeiros papas.

A apostasia conciliar não é um acidente que sobreveio à Santa Madre Igreja, como pensa Fellay, mas sim a destruição, a aniquilação, da face humana desta, e consequente constituição de uma anti-Igreja, que em mais não consiste senão numa sucursal da maçonaria. Certamente, a Pessoa Moral de Direito Divino é Indefectível, e mais ainda, Intangível; nesse sentido não se pode afirmar que a Santa Madre Igreja pereceu substancialmente; sòmente se pode e deve afirmar que a face humana do Corpo Místico foi integralmente substituída por uma seita, ateia, libertina, anárquica, niilista; mas infelizmente, desgraçadamente, é dessa seita horrenda, e desses papas do diabo, macaqueadores da Fé Católica, que Fellay insiste em receber Jurisdição.

No comunicado referido, nota-se a influência moderadora de Tissier de Mallerais e de Galarreta; todavia não pense qualquer destes senhores, se chegar a Superior Geral, que é com comunicados destes, derrotistas e desmobilizadores, além de apóstatas – absolutamente opostos à declaração de Monsenhor Lefebvre de 21 de Novembro de 1974 – que poderão algum dia reconstituir o combate anti-modernista, restaurando o que parece já irreversìvelmente perdido e aniquilado. A declaração de 21 de Novembro de 1974, TRANSPOSTA, NA DEVIDA PROPORÇÃO, PARA A SITUAÇÃO ACTUAL, SÓ PODERIA CONSTITUIR UM SOLENE ANÁTEMA, CONDENANDO OS PAPAS DO DIABO, OS PAPAS DA MORTE DE DEUS, QUE USURPARAM A MAIS SACROSSANTA DAS FUNÇÕES.

Como é que Fellay vai render contas a Deus Nosso Senhor destes quase vinte e cinco anos, perdidos para a Fraternidade, do que poderia ter constituído um riquíssimo património de combate, muito duro, sem dúvida,  mas glorificador da Santíssima Trindade e salvador das almas?

Não saberá Fellay, que viver rigorosamente de princípios, de princípios católicos, SIGNIFICA INVERTER, COM O AUXÍLIO DE DEUS NOSSO SENHOR, O SENTIDO DO CAUDAL NATURAL DA TORRENTE DA VIDA, COM TODO O SEU LASTRO DE PECADO. Porque Adão e Eva, na sua privilegiada condição, natural, preternatural, e Sobrenatural, para praticar o bem, só tinham de se deixar conduzir pelos impulsos ontológicos inerentes a essa condição, sem esforço algum; para pecar, aí sim, tiveram de inverter o fluxo natural, preternatural e Sobrenatural da sua condição – E COM MUITO ESFORÇO MORAL NEGATIVO.

Mas Fellay, ao longo destes quase vinte e cinco anos, orientou sempre todos os seus esforços para alinhar a Fraternidade com as ideias do mundo, quando devia era combatê-lo, opugnando concomitantemente a seita conciliar.

Monsenhor Lefebvre era pessoalmente suave e delicado, e transigia com facilidade em tudo o que fosse concernente apenas às suas comodidades pessoais, mas era absolutamente inamovível e inflexível no terreno dos Princípios.

Acrescenta Fellay, no referido comunicado, que “espera que Deus conceda ao papa a força necessária para proclamar a verdade dogmática e moral em toda a sua integridade.”

Questiona-se – quanto tempo pensa Fellay esperar mais? Não considera que cinquenta e sete anos é suficiente? Quer esperar até 2073? NESSA DATA, EM TERMOS DE PROVIDÊNCIA ORDINÁRIA, E ATÉ DE PROVIDÊNCIA ESPECIAL, NÃO HAVERIA JÁ BISPOS OU SACERDOTES CATÓLICOS À SUPERFÍCIE DA TERRA; O que é contraditório com as promessas de Nosso Senhor Jesus Cristo. Mais não fosse por este simples argumento, conclui-se que a estratégia de Fellay é errada e apóstata, POIS JOGA CONDIGNAMENTE A FAVOR DOS INIMIGOS DA SANTA MADRE IGREJA E DAS FORÇAS ANTI-CRISTO.

Insiste-se: Assim como há cinquenta anos toda a estratégia da maçonaria se fundamentava no conceito, ateu e aniquilante, da liberdade religiosa; hodiernamente, o conceito base da maçonaria, o mais operativo, aquele que lhe suscita as mais sólidas esperanças de obliteração total e definitiva da escassa resistência católica, é precisamente o conceito e a dinâmica base do anti-sedevacantismo; e o agente maçon infiltrado para tal fim – É O SEU EMPREGADO FELLAY.

 

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

 

Lisboa, 1 de Julho de 2016

 

Alberto Carlos Rosa Ferreira das Neves Cabral

Escutemos o Papa São Pio X, em excertos da sua Carta Apostólica “Notre Charge Apostolique”, promulgada em 25 de Agosto de 1910:

«Queremos chamar vossa atenção, Veneráveis irmãos, sobre esta deformação do Evangelho, e do Carácter Sagrado De Nosso Senhor Jesus Cristo, Deus e Homem, praticada no “Sillon” e algures. Desde que se aborda a questão social, está na moda, em certos meios, afastar primeiro a Divindade de Nosso Senhor, e depois só falar da Sua Soberana mansidão, da Sua compaixão por todas as misérias humanas, de Suas instantes exortações ao amor do próximo e à Fraternidade. Certamente, Jesus amou-nos com um amor imenso, infinito, e veio à Terra sofrer e morrer, a fim de que, reunidos em redor d’Ele, na Justiça e no Amor, animados dos mesmos sentimentos de mútua Caridade, todos os homens vivam na Paz e na Felicidade (Sobrenatura). Mas para a realização dessa felicidade temporal e Eterna, Ele impôs, com Autoridade Soberana, A CONDIÇÃO DE SE FAZER PARTE DO SEU REBANHO, de se aceitar a Sua Doutrina, de se praticar a virtude, E DE SE DEIXAR GUIAR E ENSINAR POR PEDRO E SEUS SUCESSORES. Além disso, se Nosso Senhor foi bom para com os transviados e os pecadores, NÃO RESPEITOU AS SUAS CONVICÇÕES ERRÓNEAS, POR SINCERAS QUE PARECESSEM; amou-os a todos para os instruir, converter e salvar. Se chamou junto de Si, para os consolar, os aflitos e os sofredores, NÃO FOI PARA LHES PREGAR O ANSEIO

DE UMA IGUALDADE QUIMÉRICA. Se levantou os humildes, não foi para lhes inspirar o sentimento de uma dignidade independente e rebelde à obediência. Se Seu Coração transbordava de mansidão pelas almas de boa vontade, soube igualmente armar-se de uma santa indignação contra os profanadores da Casa de Deus, contra os miseráveis que escandalizam os pequenos, com as autoridades que acabrunham o povo com a carga de pesados fardos, sem aliviá-la sequer com  um dedo. JESUS FOI TÃO FORTE QUÃO DOCE; repreendeu, ameaçou, castigou, sabendo e nos ensinando que muitas vezes O TEMOR É O COMEÇO DA SABEDORIA, E QUE ÁS VEZES CONVÉM CORTAR UM MEMBRO PARA SALVAR O CORPO. Enfim, Nosso Senhor não ensinou para a sociedade futura o reinado de uma felicidade ideal, de onde o sofrimento fosse banido; mas por lições e exemplos, traçou o caminho da felicidade (sobrenatural) possível na Terra e da felicidade perfeita no Céu: A ESTRADA REAL DA CRUZ.

Estes são ensinamentos que seria errado aplicar sòmente à vida individual, em vista da salvação Eterna; SÃO ENSINAMENTOS EMINENTEMENTE SOCIAIS, E NOS MOSTRAM EM NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, NUNCA UM HUMANITARISMO SEM CONSISTÊNCIA E SEM AUTORIDADE.»

 

Em comunicado emitido no passado dia 29, Fellay, simulando uma certa correcção de objectivos, reafirma, contudo, todas as teses que estão conduzindo à completa ruína a Fraternidade que FOI DE SÃO PIO X.

Fellay admite um estado de confusão dolorosa na Igreja. Admite erros cometidos pelos bispos e pelo papa. Fellay parece que está a falar em meados dos anos sessenta, e mesmo assim já seria excessivamente brando. Os “erros” que admite, não são erros, mas APOSTASIA HABITUAL, QUE JÁ ATINGE A TERCEIRA GERAÇÃO. Fellay exprime-se exactamente como se a Santa Igreja estivesse a ser vítima de qualquer acontecimento mais ou menos inconveniente. Mas está enganado! Não nos encontramos perante uma mesma substãncia, afectada, com maior ou menor gravidade, por determinados acidentes; E NÃO, PORQUE NÃO HÁ IDENTIDADE DE SUBSTÃNCIA: FOI A SACROSSANTA RELIGIÃO CATÓLICA QUE, COMO REALIDADE SOCIAL E CULTURAL, FOI SUBSTITUÍDA PELA ANTI-RELIGIÃO DO ANTI-CRISTO – era isto que Fellay deveria reconhecer. Que uma Religião, PRECISAMENTE A RELIGIÃO REVELADA, havia sido substituída pelos seus antípodas, já  Monsenhor Lefebvre o reconhecia em 1990. É certo que Fellay reconhece que o culto de Deus foi substituído pelo culto do homem, MAS PROCEDE A ESSE RECONHECIMENTO, NA BASE DE UMA MESMA INSTITUIÇÃO FORMAL, COM BISPOS E PAPAS PERMANENTEMENTE, DIUTURNAMENTE, VERDADEIROS. Aqui reside a apostasia de Fellay: UMA MESMA INSTITUIÇÃO FORMAL E DUAS RELIGIÕES. POSSUINDO OS BISPOS E PAPAS JURISDIÇÃO VÁLIDA PARA AMBAS AS RELIGIÕES. Isto é tanto mais monstruoso, quanto o próprio São Paulo nos avisou:” Se eu mesmo, ou um Anjo do Céu, trouxer outro Evangelho diferente do que recebestes – seja anátema!”  Mas para Fellay, não, os autores do anti-evangelho do anti-Cristo, são verdadeiros bispos e verdadeiros papas.

A apostasia conciliar não é um acidente que sobreveio à Santa Madre Igreja, como pensa Fellay, mas sim a destruição, a aniquilação, da face humana desta, e consequente constituição de uma anti-Igreja, que em mais não consiste senão numa sucursal da maçonaria. Certamente, a Pessoa Moral de Direito Divino é Indefectível, e mais ainda, Intangível; nesse sentido não se pode afirmar que a Santa Madre Igreja pereceu substancialmente; sòmente se pode e deve afirmar que a face humana do Corpo Místico foi integralmente substituída por uma seita, ateia, libertina, anárquica, niilista; mas infelizmente, desgraçadamente, é dessa seita horrenda, e desses papas do diabo, macaqueadores da Fé Católica, que Fellay insiste em receber Jurisdição.

No comunicado referido, nota-se a influência moderadora de Tissier de Mallerais e de Galarreta; todavia não pense qualquer destes senhores, se chegar a Superior Geral, que é com comunicados destes, derrotistas e desmobilizadores, além de apóstatas – absolutamente opostos à declaração de Monsenhor Lefebvre de 21 de Novembro de 1974 – que poderão algum dia reconstituir o combate anti-modernista, restaurando o que parece já irreversìvelmente perdido e aniquilado. A declaração de 21 de Novembro de 1974, TRANSPOSTA, NA DEVIDA PROPORÇÃO, PARA A SITUAÇÃO ACTUAL, SÓ PODERIA CONSTITUIR UM SOLENE ANÁTEMA, CONDENANDO OS PAPAS DO DIABO, OS PAPAS DA MORTE DE DEUS, QUE USURPARAM A MAIS SACROSSANTA DAS FUNÇÕES.

Como é que Fellay vai render contas a Deus Nosso Senhor destes quase vinte e cinco anos, perdidos para a Fraternidade, do que poderia ter constituído um riquíssimo património de combate, muito duro, sem dúvida,  mas glorificador da Santíssima Trindade e salvador das almas?

Não saberá Fellay, que viver rigorosamente de princípios, de princípios católicos, SIGNIFICA INVERTER, COM O AUXÍLIO DE DEUS NOSSO SENHOR, O SENTIDO DO CAUDAL NATURAL DA TORRENTE DA VIDA, COM TODO O SEU LASTRO DE PECADO. Porque Adão e Eva, na sua privilegiada condição, natural, preternatural, e Sobrenatural, para praticar o bem, só tinham de se deixar conduzir pelos impulsos ontológicos inerentes a essa condição, sem esforço algum; para pecar, aí sim, tiveram de inverter o fluxo natural, preternatural e Sobrenatural da sua condição – E COM MUITO ESFORÇO MORAL NEGATIVO.

Mas Fellay, ao longo destes quase vinte e cinco anos, orientou sempre todos os seus esforços para alinhar a Fraternidade com as ideias do mundo, quando devia era combatê-lo, opugnando concomitantemente a seita conciliar.

Monsenhor Lefebvre era pessoalmente suave e delicado, e transigia com facilidade em tudo o que fosse concernente apenas às suas comodidades pessoais, mas era absolutamente inamovível e inflexível no terreno dos Princípios.

Acrescenta Fellay, no referido comunicado, que “espera que Deus conceda ao papa a força necessária para proclamar a verdade dogmática e moral em toda a sua integridade.”

Questiona-se – quanto tempo pensa Fellay esperar mais? Não considera que cinquenta e sete anos é suficiente? Quer esperar até 2073? NESSA DATA, EM TERMOS DE PROVIDÊNCIA ORDINÁRIA, E ATÉ DE PROVIDÊNCIA ESPECIAL, NÃO HAVERIA JÁ BISPOS OU SACERDOTES CATÓLICOS À SUPERFÍCIE DA TERRA; O que é contraditório com as promessas de Nosso Senhor Jesus Cristo. Mais não fosse por este simples argumento, conclui-se que a estratégia de Fellay é errada e apóstata, POIS JOGA CONDIGNAMENTE A FAVOR DOS INIMIGOS DA SANTA MADRE IGREJA E DAS FORÇAS ANTI-CRISTO.

Insiste-se: Assim como há cinquenta anos toda a estratégia da maçonaria se fundamentava no conceito, ateu e aniquilante, da liberdade religiosa; hodiernamente, o conceito base da maçonaria, o mais operativo, aquele que lhe suscita as mais sólidas esperanças de obliteração total e definitiva da escassa resistência católica, é precisamente o conceito e a dinâmica base do anti-sedevacantismo; e o agente maçon infiltrado para tal fim – É O SEU EMPREGADO FELLAY.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

Lisboa, 1 de Julho de 2016

Alberto Carlos Rosa Ferreira das Neves Cabral

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

AMOR DE LA VERDAD

que preserva de las seducciones del error” (II Tesal. II-10).

Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

Radio Spada

Radio Spada - Tagliente ma puntuale

Catholic Pictures

Handmaid of Hallowedground

Hallowedground

Traditional Catholic Visualism

Acies Ordinata

"Por fim, meu Imaculado Coração triunfará"

RADIO CRISTIANDAD

La Voz de la Tradición Católica

%d blogueiros gostam disto: