Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

FÁTIMA: MAIOR EVENTO PROFÉTICO DA HISTÓRIA CRISTÃ E DAS PIORES GUERRAS

Parlamento Europeu

Arai Daniele

Não há necessidade de estar familiarizado com os planos da CIA ou do Pentágono ou de qualquer nação para saber que os poderes reais não deixam que seja um governo em vias de substituição a decidir uma grande guerra, do tamanho que vai ser a próxima, de há muito preparada contra a Rússia, que terá apoio da China.
Logo, a campanha eleitoral para a eleição do próximo presidente americano, sucessor de Obama, é estreitamente ligada a essa guerra.
Claro que, no meio do impressionante descrédito irreversível para o poder americano que esta sucessão vai desvelando, esta já por si só revela o fim desse poder hegemônico mundial. Uma guerra poderia servir para fechar essa vergonha, mas então o preço a pagar seria o de, numa crucial conjuntura militar, ter que manter a inepta meia figura do Obama, partner desse fiasco. Já se viu quem era na guerra na Síria, que eles decidiram ser conflito que deve continuar até que os russos tenham base lá. Agora a situação pode ter mudado um pouco devido ao acordo petrolífero entre Putin e Erdogan, importante para a Rússia também porque sem forte apoio da grande Turquia à NATO, os ataques desses governos sem escrúpulos para mutilar a Síria continuariam indefinidamente só no âmbito local.

Tudo faz parte do plano de jogos de guerras criminosas que pretendem avançar passo a passo, canalhice a canalhice!  Da mesma forma, não é segredo para ninguém que o «ocidente» em geral segue uma política abaixo de toda crítica, todavia, continua feliz e despreocupadamente a associar-se a esses jogos sem fronteiras nem moral guiados por governos norte-americanos. O crime internacional de guerras de interesses escusos, tem lugar em cadeia, como a chamada “Primavera Árabe”, para perturbar não só o equilíbrio mediterrâneo mas dos europeus, que a pesar disto a elas participaram, mesmo se uns contra os outros, numa Europa não mais cristã.

Voltando à eleição nos EUA, fato é que os milhões de milhões empregados pelos belicistas sem pátria nem escrúpulos na campanha da Killary provavelmente darão frutos contra Trump, que ameaça caçar esses criminosos e aposentar os planos de guerra da NATO. Se assim não for e Trump obter vantagem, então podem ocorrer duas coisas, a primeira já com uma «pequena surpresa» em outubro; um atentado pessoal a qualquer candidato ou uma «false flag» para provocar a guerra. O resultado não seria ideal, suspender as eleições para manter Obama no «poder», numa situação de conflito bélico, seria o menor mal para o secreto plano final.

Se, ao contrário, a campanha continuar a correr sendo possível fornecer sondagens a favor de Killary, verdadeiras ou não, pouco importa pois no sistema eleitoral americano tudo pode ser no fim «cozinhado» fazendo votar até os mortos, visto que na maioria dos estados vota-se sem nenhum título. São pelo menos dois homens da grande política que o denuncia: Gingrich, ex presidente da Câmara e Rudy Giuliano, ex prefiro de Nova York, que descrevem como Killary pode receber um dilúvio de votos duplos e triplos, para não arriscar ver Trump empossado.

Assim com essa nova inquilina na Casa Branca, e Bill consorte, o plano final, que já tem equipe e programa ditados pelos poderes ocultos, poderá acionar os dispositivos para a Guerra. Sim, porque disso se trata: essas eleições devem decidir da guerra do «ocidente» contra a Rússia e seus aliados, guerra que Trump tem declarado abertamente querer evitar, se eleito.

Neste momento, pois, há duas razões para adiar o início da Guerra: – porque foi decidido que, se realmente eleito Trump não o será de fato, e para isto servem sondagens manipuladas, que podem cobrir a manipulação final dos votos confirmando o desfavor a Trump. – A outra razão é que nada indica que a iniciativa de guerra parta da Rússia. Só importa, pois, que o plano reste armado, até que a eleita na hora ditada pelas «criminal minds», uma vez empossada receba o poder para «set fire to the powder» dos arsenais já posicionados e de prontidão!

Que não se fale de «teoria da conspiração»; tais arsenais existem como também tropas nas fronteiras da Rússia. A este ponto deixamos o relato das manobras desses governos cujo nível de canalhice não têm precedentes em toda a história, para passar a falar da luz suave trazida pela Profecia de Fátima, para prevenir guerras e massacres, mas não foi considerada, razão porque no mundo, de Roma a seus confins, passou a ser dominado por criminosas mentiras.

Em suma, tal teatro do pior horror preparado para breve pode esperar o início de 2017, que é o centenário de fatídicos 17 e do maior fato profético do tempo cristão ocorrido em 1917 em Fátima, cuja última aparição ocorreu dias antes da atroz revolução comunista russa, autora de erros e males espalhados pelo mundo, como ali profetizado. Mas a sedição russa vinha coroar 400 anos de revoluções contra a Igreja e contra a Cristandade, sendo a primeira, de 1517 proclamada por Lutero e em seguida a muitas guerras desastrosas a  de 1717 da fundação oficial da Maçonaria, que desde então opera para completar a anterior. Todas elas, ainda são a causa de uma perda elevadíssima de almas, através de sucessivas graves convulsões históricas.

Só o Cristianismo defende o homem, como foi criado por Deus

Não pode haver dúvida, sem o Cristianismo e portanto sem a Igreja Católica e o Papa com autoridade apostólica, não há civilização que defenda a natureza do homem, feito de corpo e de uma alma imortal que só tem sossego no retorno ao Pai. Seu Reino é o que devemos aspirar também neste mundo. Essa guerra é o seu contrário, tramada pelo inimigo de Deus e nosso.

Essa «guerra final», ligada a tais precedentes, poderia então vir com os eventos de 2017. No entanto, há quem não consiga esperar pela comemoração da rebelião em 1517 de Lutero,. Assim, já neste ano revela querer antecipá-las, provavelmente a fim de evitar perder a ribalta destacada de sua presença nesses festejos; quem senão Jorge Bergoglio? Mas como fará se será saudado como “o Papa”, o chefe da Igreja que foi classificada por Lutero como a sede do Papa, Anticristo?

bergoglio-e-luteroSem dúvida, o Vaticano bergogliento quer engajar-se cada vez mais em uma corrida frenética de recuperação de prestígio, já que nos últimos tempos não faz senão perder credibilidade. De fato, sua «nova teologia do ambiente» não excita nem mesmo o mais fanático «papaboy», e a recuperação da “paz” de acordo com a teologia da libertação, aplicada às FARC da Colômbia, não convenceu, nem mesmo com mil sorrisos do Castro e do Santos, Prêmio Nobel da Paz. Sem dizer que do mesmo giro satânico, Lula e Dilma, a “presidenta guerrilheira”, foi deposta do governo do Brasil, mesmo se Bergoglio a brindou com uma carta pessoal. Seu “partido dos trabalhadores” vai também encalhando-se por causa de corrupções bilionárias dos seus!

Deixo a lista mais completa das distorções e fracassos bergogliosos para especialistas nesse gênero macabro, como Antonio Socci e tantos outros porque seu número só tem aumentado. Por ora, bastaria lembrar o que Socci revela do dia 13 de outubro passado, do grande milagre do sol em Fátima, Bergoglio no Vaticano, junto a uma estátua de Lutero recebeu os luteranos numa reunião. Trata-se de mais um passo no sentido de ”justificação” proposta da heresia do Luterano II, que é contemplado na infame “Dignitatis humanis”, do direito reconhecido a todos os erros. Sim, porque o maldito V2 antecipou-se às revoluções do mundo moderno e chegou de fato em 1965 em tempo de antecipar as convulsões libertários de 1968! Quanto a Paulo 6 foi a Medellín, na Colômbia, em 1967, para antecipar o espírito de revolução latino-americano com a sua «Populorum Progressio», socializante!

Quando João Paulo 2º foi ao templo luterano em Roma, eu fui lá para ver se poderia de algum modo dizer o que penso, mas quando cheguei já GP2 estava entrando; ele tinha chegado com antecedência! Eles sempre antecipam! Wojtyla, tomando iniciativas como a de Assis, Ratzinger na elaboração das justificações de acordo com o seu erudita verbo luteranese. Vão apressados, sempre, porque movidos pelo idéia de progresso da fraternidade iluminista, sem limites? Ou talvez porque sabem ter pouco tempo para desfrutar do brilho fosforescente do fugaz mundo moderno que está de fato evoluindo no seu estado avançado de putrefação?
Agora cabe a Bergoglio completar a descida à “espiritualidade fortiter de Lutero”! No retorno do vôo para a Armênia, interrogado sobre o seu envolvimento nas comemorações do 500º aniversário da Reforma Protestante com os luteranos,

Bergoglio explicou:

  • “Acredito que as intenções de Martinho Lutero não estavam erradas. Naquela época, a Igreja não era exatamente um modelo: houve corrupção, houve alta sociedade, apego ao dinheiro e ao poder. Por isso ele protestou. Então sendo inteligente deu um passo em frente, justificando porque fez isso. E hoje luteranos e católicos, com todos os protestantes, estamos de acordo sobre a «doutrina da justificação»: neste ponto tão importante não esteve errado. Ele deu um “remédio” para a Igreja, então este se consolidou num estado de coisas, numa disciplina etc. “

Diavolo ecumenico  Estas palavras contêm uma série de falsidades, uma vez que nenhum “diálogo” pode mudar a posição católica sobre a «doutrina da justificação» condenada dos protestante e luteranos. Pelo contrário, a Igreja Católica já sentenciou sobre este e vários outros erros de Lutero com sentença definitiva. Na verdade, este é só um dos pontos de ruptura com que Lutero cavou a fossa de separação com a doutrina ensinada pela Igreja ao longo dos séculos; a falsa doutrina da salvação, a “justificação do pecador” diante de Deus, através de sua própria “fé”, sem as obras realizadas com seu livre arbítrio. No Concílio Ecumênico de Trento, o Decreto sobre a Justificação de 13 de Janeiro 1547, infligiu 33 anátemas com suas sentenças. Aqui está a 9a:

  • “Se alguém afirmar que o ímpio é justificado só pela fé, de modo a entender que não precisa de nada mais com a qual a cooperar para alcançar a graça da justificação e que de modo algum é necessário que ele se prepare e se disponha com um ato de sua vontade: seja anátema “.

Esta é a doutrina condenada de Lutero, também contrária ao livre arbítrio. É claro que todo o que rejeita expressamente as definições do dogmático Concílio de Trento, doutrina sempre professada pela Igreja, que a esclareceu explicando-o, a favor das idéias de Lutero, nada faz senão confirmar toma em seu anátema. Isto reforçado pela infâmia porque diante de ponto doutrinário tal, que diz respeito à salvação das almas, nenhum clérigo pode alegar desculpa de ignorância.

Na história da Igreja houve num período turbulento alguma tentativa de contornar o problema com o texto de uma “justificação dupla». Em meu artigo anterior sobre “quando Roma corria o risco de se tornar um protestante”, narro de como esta questão esteve no centro da sedição “protestante” no seio da Igreja Romana, mas foi enfrentado por Papas verdadeiros Santos. E os acusados não eram nem mesmo clérigos indignos, como no presente, mas eram os desviados cardeais Reginald Pole e Giovanni Morone, estabelecidos em 1540 em Viterbo, e em torno deles, Vittoria Colonna. Além disso Carnesecchi, o ex proto-notário de Clemente VII e o espanhol Juan Valdez, alumbrado”, à Salvador Dali.

A Inquisição investigava em seguida os cardeais suspeitos de simpatias em relação a tais ideias que infestavam o pensamento católico. As investigações sobre o cardeal Inglês Reginald Pole e Morone Cardinal são exemplos marcantes das tendências iminentes. Quanto aos alumbrados, eram a versão avançada do movimento carismático moderno, que seduziu até mesmo artistas, intelectuais e senhoras influentes, como Giulia e Eleonora Gonzaga, respectivamente primo e irmã do cardeal Ercole Gonzaga. Com fé incerta, dispostos a aceitar o princípio da justificação luterana somente pela fé, eles estiveram prestes a aceitar a doutrina, em seguida, rejeitada pelo Concílio de Trento, da “dupla justificação”. Espalharam entre outras coisas, também um tratado herético sobre “O Benefício de Cristo”, mais tarde condenado pelo Santo Ofício.

O perigo dessas correntes acabou naqueles anos a proporcionar a queda de dois grandes pregadores: o austero Occhino, ex-vigário geral da Ordem dos Capuchinhos em Latrão e o Cônego Vermigli, também “professor” que passou ao protestantismo. A acusação contra Pole e Morone foi de solidariedade com os protestantes e de atitude consequentemente ambígua em questões de fé. Não foi provado que eles tivessem aderido à heresia, caso em que não seriam mais cardeais, mas ambos, embora inclinados a aberturas doutrinais arriscada, estiveram perto de serem eleitos ao Sumo Pontificado, com grande perigo para a fé. O Cardeal Pole, acusado pelo cardeal Carafa, porque inclinado a se reconciliar com as ideias protestante de justificação, não foi eleito papa no conclave de 1549 por um voto. Mirava a uma Igreja espiritualizada que seria adversa à escolástica e ao formalismo jurídico, antecipando o carismatismo moderno e uma forma de luteranismo pacifista, aberto a qualquer liberalismo. Em seguida, foi eleito o cardeal santo; Papa Paolo IV conteve o que hoje se acredita ser o “progresso da história”, isto é, toda essa série de despropósitos conciliares, que agora explodem com Bergoglio! Portanto suas afirmações heréticas podem não surpreender; estão na linha de meio século de aberturas ambíguas do Vaticano 2, do qual ele é apenas mais um adulado extremo continuador! Além disso, ele conta com a “Declaração Conjunta sobre a Justificação” do ano de 1994, retocada por Ratzinger para o “diálogo ecumênico” usual com os luteranos, a fim de alcançar declaração definitiva (que cancele Trento!). Este é o diálogo regular continuado e desenvolvido em plena aprovação de João Paulo 2º e Bento 16.

Aqui este elogio bergogliesco da doutrina herética de Lutero e futuras celebrações do último, confirma mais uma vez como estão numa nova igreja conciliar herética nascida e articulada para a devastação total da única Igreja Católica.

É bom então ter em mente a declaração com que o Bispo Antônio de Castro Mayer, de venerada memória, a classifica a nova igreja conciliar:

«A Igreja que adere formal e totalmente ao Vaticano II com suas heresias não é nem pode ser a Igreja de Jesus Cristo. Para pertencer à Igreja católica, à Igreja de Jesus Cristo, é preciso ter fé, ou seja, não pôr em dúvida ou negar um artigo sequer da Revelação. Ora, a Igreja do Vaticano II aceita doutrinas que são heréticas, como vimos. Pode-se admitir, porém, a possibilidade de que haja fiéis em boa fé que não sabem ter o Vaticano II aderido à heresia. Mas, bispos? É difícil admiti-lo, mesmo não a excluindo como possibilidade absoluta.»

Um relâmpago poderoso caiu sobre a Basílica de São Pedro e fez tremer até as imediações no dia da festa de Nossa Senhora do Rosário. Preparemo-nos, pois, porque pode ser um sinal de que neste mês de outubro pode vir uma má surpresa. São tempos sombrios que vivemos, em que a falsidade prevalece, e por causa de nossos muitos pecados não poderá ser senão um sinal funesto!

 

Uma resposta para “FÁTIMA: MAIOR EVENTO PROFÉTICO DA HISTÓRIA CRISTÃ E DAS PIORES GUERRAS

  1. Zoltan Batiz outubro 20, 2016 às 11:51 pm

    Ivanka Trump, a filha do Donald, converteu-se ao judaismo.
    Vejam na net.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

AMOR DE LA VERDAD

que preserva de las seducciones del error” (II Tesal. II-10).

Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

Radio Spada

Radio Spada - Tagliente ma puntuale

Catholic Pictures

Handmaid of Hallowedground

Hallowedground

Traditional Catholic Visualism

Acies Ordinata

"Por fim, meu Imaculado Coração triunfará"

RADIO CRISTIANDAD

La Voz de la Tradición Católica

%d blogueiros gostam disto: