Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

SÃO JOSÉ PROTETOR DE JESUS MENINO E DA IGREJA EM PERIGO

Arai Daniele

São José, digníssimo Esposo de Maria Virgem, Mãe de Deus, sendo protetor de Jesus e de Sua Igreja, é ligado à Acies ordinata, que nunca será dispersa e por fim triunfará!

Segundo um dos Apócrifos, José, descendente de Davi, teria sido convocado em Jerusalém pelo Sumo Sacerdote para, com outros da mesma descendência, saber qual dentre eles era digno de ser o pai do Messias prometido. Cada um deles tinha um cajado de madeira, e rezaram juntos a Deus para obter um Seu sinal, fazendo florir o cajado do escolhido. Este foi o de José, em cujo cajado despontou um lírio, sinal de pureza. É uma tradição, mas o fato é que São José foi escolhido como futuro pai adotivo de Jesus e marido da Virgem Maria que, por sua vez, era vista pela Sua beleza e formação como possível Mão do «Desejado das nações».

Sabemos pela Tradição Apostólica e pelos Evangelhos, que a registrou, que o genitor verdadeiro de Jesus é Deus Pai. Ora, Maria já tendo sido prometida em casamento a José, concebeu milagrosamente sem relações maritais, mas pelo poder do Espírito Santo. Para José, quando percebeu que a esposa estava grávida de um filho que não era seu, foi um momento dramático, pois pensou que devia romper com Maria, mas em segredo para não expô-la publicamente. No Evangelho de Mateus temos o relato desse episódio:

«Eis a origem de Jesus Cristo: Maria, sua mãe, comprometida em casamento com José, antes que coabitassem, encontrou-se grávida por obra do Espírito Santo. José, seu esposo, sendo justo e não querendo denunciá-la publicamente, resolveu repudiá-la em segredo.»  (Mt 1:18-19).

«Eis que o Anjo do Senhor manifestou-se a ele em um sonho, dizendo: ‘José, filho de Davi, não temas receber Maria, como tua mulher, pois o que nela foi gerado vem do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho e tu lhe darás o nome de Jesus, pois ele será o Salvador de seu povo dos seus pecados’.  José, ao despertar do sono, agiu conforme o Anjo do Senhor lhe ordenara e recebeu em sua casa sua mulher.» (Mt 1:21-24)

Foi quando, após o sonho com a visão mística do Anjo, reconheceu Menino legalmente, seria Jesus, seu legítimo filho diante dos homens, do qual assumiu a proteção paterna. São Lucas o relata:

«Ao iniciar Seu ministério, Jesus tinha mais ou menos trinta anos e era, conforme se supunha,  filho de José.» (Lc 3, 23)

São José era carpinteiro, de profissão, conforme menciona São Mateus evangelista (Mt 13, 55) e dai se deduz que Jesus, antes de iniciar Sua vida pública, aprendeu a profissão do pai, razão porque São Marcos refere-se a Jesus como “Carpinteiro”, assim chamado pelos compatriotas para ironizar ao vê-lo como pregador. As duas versões evangélicas sobre a genealogia de Jesus parecem divergir no que se refere a José, sendo salva a sua e a de Maria descendência de Davi.

Além dos evangelhos canônicos, reticentes em relação a José de Nazaré, os apócrifos oferecem detalhes, No Protoevangelho de Tiago, José era originário de Belém e, tendo sido casado, teve seis filhos: quatro homens, Judas, José, Tiago e Simão e duas mulheres, Lísia e Lídia, ficando em seguida viúvo com filhos para educar. A Igreja Ortodoxa acolhe esta versão. De fato, parece que a citação dos «irmãos de Jesus» em outras passagens, peça essa indicação.

Da infância de Jesus os Evangelhos só tratam quando, com 12 anos, José e maria O levaram juntamente em peregrinação a Jerusalém a Sua apresentação aos Doutores da Lei. Enquanto os Pais voltavam para casa, Jesus ficou no Templo, sem que José e Maria, separados na comitiva o percebessem. Depois de tê-lo procurado por três dias entre os peregrinos, foram finalmente encontrá-lo no Templo, discutindo e explicando as Escrituras com os doutores da Lei O evangelista São Lucas, relata o episódio:

«Ao vê-lo, ficaram surpresos, e sua mãe lhe disse: ‘Meu filho, por que agiste assim para conosco? Teu pai e eu, aflitos, te procurávamos’. Ele respondeu: ‘Por que me procuráveis? Não sabíeis que devo ocupar-me das coisas de meu Pai?» (Lc 2, 48-49)

Embora já soubesse que José não fosse seu genitor, Jesus adolescente comportava-se como um verdadeiro filho, respeitando-o e amando-o até o fim. O confirma o trecho de Lucas.

«Voltou [Jesus] então com eles para Nazaré e era-lhes submisso. Sua mãe, porém, conservava a lembrança de todos esses fatos em seu coração.» (Ib. 51)

Ao iniciar Jesus Sua vida pública é muito provável que José já tenha falecido, pois não é mais mencionado e Jesus o teria poupado de sofrer ao ver Seu filho querido perseguido e morto. Já quando muito pequeno essa perseguição começou e José, avisado pelo Anjo em sonho, fez como este lhe havia avisado, tomou consigo sua esposa e a criança e fugiram para o Egito. Portanto invocamos hoje São José protetor incomparável da Igreja de Jesus Cristo.

Este ano, visto que a Festa do dia 19 para comemorar o Santo cai no domingo, celebra-se no dia 20, segunda-feira. Aqui desde já lembramos este nosso grande Santo Protetor, como o foi de Jesus e é sempre da Sua Igreja.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blondet & Friends

Il meglio di Maurizio Blondet unito alle sue raccomandazioni di lettura

AMOR DE LA VERDAD

que preserva de las seducciones del error” (II Tesal. II-10).

Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

Radio Spada

Radio Spada - Tagliente ma puntuale

Catholic Pictures

Handmaid of Hallowedground

Hallowedground

Traditional Catholic Visualism

Acies Ordinata

"Por fim, meu Imaculado Coração triunfará"

RADIO CRISTIANDAD

La Voz de la Tradición Católica

%d blogueiros gostam disto: