Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

Arquivos Diários: junho 2, 2017

A ESTRATÉGIA DESPERSONALIZANTE DO MODERNISMO

Alberto Carlos Rosa Ferreira das Neves Cabral

Escutemos o Papa São Pio X, num trecho da sua encíclica “Pascendi Dominici Gregis”, promulgada em 8 de Setembro de 1907:

«Para conhecer mais a fundo o modernismo, e para encontrar remédio mais apropriado a tão grande mal, cumpre agora, veneráveis irmãos, procurar algumas causas de onde se originou, e porque se desenvolveu. Não há dúvida, que a causa próxima e imediata é a aberração do entendimento. Quanto às remotas, reconhecemos duas: A curiosidade e a soberba. A curiosidade, se não sàbiamente refreada, basta por si só para explicar toda a sorte de erros. Por esta razão, o nosso sábio predecessor Gregório XVI com toda a verdade escreveu:”Muito lamentável é ver até onde se atiram os delírios da razão humana quando o homem corre atrás de novidades, e contra as admoestações de São Paulo, se empenha em saber mais do que convém, e confiando demais em si, pensa que deve procurar a Verdade fora da Igreja Católica, na qual se acha sem a mais leve sombra de erro.”

Contudo a soberba tem muito maior força para arrastar ao erro os entendimentos; é a soberba QUE ESTANDO NA DOUTRINA MODERNISTA COMO EM SUA PRÓPRIA CASA, aí acha à larga de que se cevar e com que ostentar as suas manifestações. Efectivamente, a soberba os faz confiar tanto em si, que se julgam e se dão a si mesmos como regra para os outros. Devido a essa soberba,loucamente se gloriam de serem os únicos a possuírem o saber, e dizem desvanecidos e inchados: “Nós não somos como os outros homens.”

E de facto, para não o serem, abraçam e devaneiam TODA A SORTE DE NOVIDADES, até das mais absurdas. DEVIDO À SOBERBA, REPELEM TODA A SUJEIÇÃO, E AFIRMAM QUE A AUTORIDADE DEVE ALIAR-SE COM A LIBERDADE.(…) Seja portanto, veneráveis irmãos, o vosso primeiro dever resistir a esses homens soberbos,OCUPÁ-LOS NOS MISTERES MAIS HUMILDES E OBSCUROS, AFIM DE SEREM TANTO MAIS DEPRIMIDOS QUANTO MAIS SE ENALTECEM; E COLOCADOS EM PLANO ÍNFIMO TENHAM MENOR CAMPO A PREJUDICAR. Além disso, por vós mesmos, ou pelos reitores dos Seminários, procurai com cuidado conhecer os jovens que se apresentam como candidatos às fileiras do clero, e se algum deles for de carácter soberbo, repeli-o resolutamente do sacerdócio. E neste ponto, oxalá que se tivesse sempre procedido com a necessária vigilância e fortaleza.

Em vista disso, veneráveis irmãos, não é para admirar que os católicos, denodados defensores da Santa Igreja, SEJAM ALVO DO ÓDIO MAIS DESPUDORADO DOS MODERNISTAS. NÃO HÁ INJÚRIA QUE NÃO LHES LANCEM NO ROSTO; MAS DE PREFERÊNCIA LHES CHAMAM IGNORANTES E OBSTINADOS. SE A ERUDIÇÃO E EFICÁCIA DE QUEM OS REFUTA OS ATEMORIZA, PROCURAM DESCARTÁ-LO, RECORRENDO AO SILÊNCIO. ESSE MODO DE PROCEDER PARA COM OS CATÓLICOS TORNA-SE AINDA MAIS ODIOSO, PORQUE ELES, AO MESMO TEMPO, EXALTAM DESCOMPASSADAMENTE, COM INCESSANTES LOUVORES, OS QUE FICAM DO SEU LADO. (…)

Os modernistas procuram conseguir cadeiras nos Seminários e Universidades, PARA TORNAREM-NAS, INSENSÌVELMENTE, CÁTEDRAS DE PESTILÊNCIA.Inculcam as suas doutrinas, talvez disfarçadamente, pregando nas igrejas; expõem-nas, mais claramente, nos Congressos.(…)Às vezes, um mesmo escritor se serve de diversos nomes, simulando grande número de autores. Numa palavra, pela acção, pela palavra, pela Imprensa, tudo experimentam, de modo a parecerem agitados por uma violenta febre. Que resultado terão eles alcançado? Infelizmente, lamentamos a perda de grande número de jovens, que davam óptimas esperanças de um dia prestarem relevantes serviços à Santa Igreja, actualmente fora do bom caminho.»

 

Gregarismo e sociabilidade constituem dois conceitos não sinónimos, porque o primeiro é aplicável também a uma ordem puramente sensitiva, ao passo que o segundo só se aplica a um vínculo oriundo também da espiritualidade e da cultura.

Todos nós necessitamos, na ordem natural, de nos sentir pessoalmente integrados, de uma forma ou de outra, porque tal corresponde à nossa natureza, essencialmente, não apenas gregária, mas igualmente social, de entes compostos de corpo e alma. Os Anjos, cada um deles constituindo uma forma específica e não individual, também na ordem natural, como entidades puramente espirituais, apresentam uma sociabilidade também espiritual, colocando as suas necessidades, neste particular, a um nível, globalmente, muito mais elementar e menos imperioso do que o Homem.

A elevação ao estado Sobrenatural, sublima, mas não elimina, o vínculo de sociabilidade, como o demonstra maravilhosamente o Dogma do Corpo Místico. Quer na Graça, quer na Glória, todas as almas participam, em plena Caridade mútua, da mesma Fonte de Verdade e Bem Incriado e Infinito, que não diminui nem pode diminuir, por mais que sejam as almas que d’Ele participem. Se bem que neste pobre mundo, em virtude do pecado original, exista uma opacidade ontológica que consideràvelmente dificulta que as almas em Graça se conheçam frutuosa e ìntimamente umas às outras.

Cada membro de um determinado corpo social, necessita antes de tudo, DE SABER QUEM É, DE DETERMINAR PERANTE SI MESMO A SUA IDENTIDADE. Mesmo a grande massa mimético-nominalista, possui uma identidade, não formalmente racional, é certo, mas momentaneamente determinada pela resultante do complexo de representações psico-sociais que envolvem os indivíduos.

Ora a mais diabólica estratégia do modernismo foi provocar, ORGÂNICAMENTE, a completa despersonalização, e consequente orfandade, primeiro dos bons sacerdotes e depois mesmo dos fiéis de Fé convicta. Ao dissolver conteúdos Sobrenaturais, mantendo certas aparências e certos contornos, a seita conciliar exauriu orgânica e socialmente a identidade católica de óptimos sacerdotes e óptimos fiéis, e em muitos casos, COM ESSA IDENTIDADE CATÓLICA EXAURIU-SE IGUALMENTE A IDENTIDADE CIVIL; tal acontece, fundamentalmente, naqueles casos em que a Fé Católica CONSTITUI A PRÓPRIA E ÚNICA JUSTIFICAÇÃO DA VIDA DA PESSOA, SEJA SACERDOTE, SEJA FIEL. Extinta a personalidade católica e social, segue-se a total e absoluta orfandade DE QUEM JÁ NÃO TEM IGREJA, VIVENDO NUMA SOCIEDADE CIVIL, OU HOSTIL, OU TOTALMENTE INDIFERENTE, E A INDIFERENÇA É POR VEZES MUITO PIOR DO QUE A HOSTILIDADE ABERTA. Pressupõe-se, evidentemente, que as almas dos sacerdotes e dos fiéis a que nos referimos, CONSERVAM A FÉ CATÓLICA E OFERECEM A DEUS NOSSO SENHOR, SOBRENATURALMENTE, OS SEUS SOFRIMENTOS. A sensação de despersonalização resulta precisamente da extinção orgânica de vínculos, por vezes também familiares, que levada aos extremos, produz mesmo um desconhecimento transcendental da pessoa perante si própria. Tal fenómeno não possui nada de patológico, sendo constitutivo do próprio estado de orfandade orgânica, por amputação da própria razão de ser social da pessoa.

De todos os golpes satanicos da maçonaria, este foi dos maiores, pois logrou reduzir à expressão inconcebìvelmente mais simples e diminuta os verdadeiros fiéis de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Tudo, absolutamente tudo, na seita conciliar, que é a própria maçonaria internacional, concorre para a despersonalização dos bons; como dizia Monsenhor Lefebvre: “Amaldiçoado aquele que não consente (no modernismo), deve ser privado de tudo o que lhe permita viver, que morra, é só o que merece”.

Efectivamente, como pode reagir um bom sacerdote, um bom fiel, quando a face humana do Corpo Místico, premeditadamente, substitui a Realeza Soberana, Espiritual e Temporal, de Nosso Senhor Jesus Cristo, PELA OPÇÃO LIVRE EM MATÉRIA RELIGIOSA? Quando substitui o Santo Sacrifício da Missa, renovação incruenta do Sacrifício da Cruz, POR UMA CERIMÓNIA PURAMENTE HUMANA E ATÉ CARNAVALESCA? Quando substitui a vida Sobrenatural do Católico, como participação na Verdade e Santidade Divina, PELA LIVRE CONCORRÊNCIA, RELIGIOSA SOCIAL E POLÍTICA, DE OPINIÕES? E quando essa mesma face humana do Corpo Místico se torna, PLANEADAMENTE, na goela Infernal de satanás?

A manifestação suprema desse propósito de despersonalização processa-se actualmente naquela que foi a Fraternidade São Pio X, mas que constitui agora mais um miserável afluente do grande movimento deicida e genocida de almas. Ao entregar-se  ao Vaticano apóstata, reconhecendo plenamente a legitimidade católica deste, a amaldiçoada chefia da dita Fraternidade conspira deliberadamente para despersonalizar os seus sacerdotes e fiéis. Na realidade, se a religião do Vaticano 2 é,  definitivamente, a Santa Madre Igreja, com o Magistério, o Santo Sacrifício e os Sacramentos, definitivamente, válidos – QUE LUGAR RESTA PARA A FRATERNIDADE? QUAL A SUA IDENTIDADE? QUAL A SUA PERSONALIDADE? O QUE É QUE OS SEUS SACERDOTES ACRESCENTAM A GLÓRIA DE DEUS E À SALVAÇÃO DAS ALMAS? QUE RAZÕES POSSUEM OS FIÉIS PARA FREQUENTAREM AS CAPELAS DA FRATERNIDADE? Aqui se compreende como a dita Fraternidade, POR ALTÍSSIMA TRAIÇÃO, concedeu ao Vaticano anti-Cristo aquilo que constitui a sua ( da Fraternidade) própria razão de ser, a sua própria personalidade, aquilo que formalmente a opunha tenazmente à seita anti-Cristo. DONDE SE INFERE, QUE ASSIM COMO A FACE HUMANA DA SANTA MADRE IGREJA SE DESPERSONALIZOU E EXTINGUIU AO PROCLAMAR OFICIALMENTE O PRINCÍPIO DA LIBERDADE RELIGIOSA; ASSIM TAMBÉM A DITA FRATERNIDADE SE DESPERSONALIZOU E EXTINGUIU, ENTREGANDO ÀS FORÇAS ANTI-CRISTO O CONSTITUTIVO FORMAL DA SUA IDENTIDADE CATÓLICA.

Satanás é coerente no mal, e o mundo seria menos mau se os bons fossem melhores, porque não há pior elemento do que o falso bom. Monsenhor Lefebvre, com todas as suas grandes limitações, era bom, mas estava rodeado por péssimos homens, autênticos judas, ou piores do que judas, pois que traíram quase dois mil anos de explicitação Teológica e Filosófica da Doutrina Cristã; e além disso, TRAÍRAM DUPLAMENTE, PORQUE TENDO SIDO CHAMADOS A RESGATAR AS CONSEQUÊNCIAS DE UM CONCÍLIO DE INFERNO, DE NOVO TRAÍRAM, E USANDO O MESMO PLANO DIABÓLICO, VELHO DE DOIS SÉCULOS.     

Quando os historiadores eclesiásticos do futuro (se houver futuro) procederem ao balanço destes negregados tempos, desta impensável odisseia da Santa Madre Igreja, não hesitarão a dar Glória a Deus, pois que no âmago de tanta miséria, de tanta apostasia, deste oceano negro de pecados que é o mundo, pelo Sangue do Seu Filho e Mediação de Maria Santíssima, AINDA LOGROU SALVAR OS ELEITOS.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

Lisboa, 24 de Maio de 2017

 

Anúncios
Blondet & Friends

Il meglio di Maurizio Blondet unito alle sue raccomandazioni di lettura

AMOR DE LA VERDAD

que preserva de las seducciones del error” (II Tesal. II-10).

Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

Radio Spada

Radio Spada - Tagliente ma puntuale

Catholic Pictures

Handmaid of Hallowedground

Hallowedground

Traditional Catholic Visualism

Acies Ordinata

"Por fim, meu Imaculado Coração triunfará"

RADIO CRISTIANDAD

La Voz de la Tradición Católica