Pro Roma Mariana

Fátima e a Paixão da Igreja

Controvérsias sedevacantistas? 

Quais são as questões que dividem os sedevacantistas? Há várias e agora vamos abordá-las.

Começamos com a questão materialiter-formaliter. O bispo Guerard des Lauriers afirmou que os (primeiros) antipapas do Vaticano não são papas formalmente (formaliter), mas são papas materialmente (materialiter). Por outras palavras, segundo esta tese, eles possuem uma eleição válida, mas devido ao seu desvio da Fé, não poderiam aceitá-la validamente. Ainda segundo esta tese, se eles se converterem, tornam-se papas. O contra-argumento é que hereges e apóstatas não são matéria válida para serem eleitos papas, e que eleitores não católicos são eleitores inválidos, mesmo se nomeados por um papa verdadeiro. Esta posição foi confirmada pela Bula “Cum ex apostolatus officio” de Paulo IV, ainda antes da situação existir em concreto. Acontece que na realidade já não há cardeais validamente nomeados, todos morreram entretanto. Alguns deles apostataram mesmo antes de morrer, perdendo o seu estatuto de cardeal. A maioria dos “cardeais” actuais nem sequer possui ordens válidas. Por exemplo, Ratzinger não é bispo e Bergoglio nem padre é. Portanto, mesmo que estes “cardeais” e “papas” se convertam, eles apenas podem ser reconciliados como leigos.

A questão de “una cum” se refere essencialmente a se um padre inclui o nome de impostores que residem no Vaticano no Cânon da Missa. As consequências disso são que esse mesmo padre também inclui esse mesmo nome nas preces feriais do Ofício, nas preces da Sexta-feira Santa, e nos elogios pascais. Discutimos esse assunto em outros artigos neste site.

Onde está então a igreja? Alguns sedevacantistas não têm certeza se devemos contar as pessoas “una cum” como membros. Existem até tradicionalistas que até consideram os de Novus Ordo como católicos. O campo “reconhecer e resistir” aceita a igreja oficial como católica. Até alguns sedevacantistas ficam confusos com essas posições.

Opinionismo: é um ecumenismo sedevacantista (aliás, pan-tradicionalista). Significa afirmar que a questão do papa / sedevacantismo é apenas uma questão de opinião. Voltaremos a este temas, Deo volente, pois tem muitas ramificações.

A questão Thuc: algumas pessoas reconhecem a validade da linha Thuc, enquanto outras não. Alguns até reconhecem alguns bispos Thuc, mas não outros. Optamos por não nos envolver neste tópico agora.

A questão das rubricas: as rubricas são instruções para celebrar a Missa e o Ofício (a primeira faz parte do segundo e as leituras da Missa só fazem sentido dentro de todo este contexto). Eles relacionam-se com a classificação das festas, ordem das leituras, tom de voz, posturas, etc. Eles geralmente são exibidos em vermelho (no Missal, Breviário, Ritual, Pontifícal, etc.), daí o nome.

Os sacerdotes tradicionalistas optam tipicamente por três tipos de rubricas: as do Papa São Pio X, do Papa Pio XII e a do antipapa Roncalli. Digo “tipicamente” porque há variações: alguns dos que usam as rubricas de Pio X aceitam a missa que Pio XII compôs após o pronunciamento dogmático da Assunção, outros não. Alguns que usam a prescrição rubrical de Roncalli alteraram o rito da comunhão. E existem outros exemplos. Deo volente, voltaremos a esse assunto em outro artigo.

Aqueles que são conhecidos como “caseiros solitários” [home-aloners] recusam-se a frequentar missas e sacramentos tradicionais válidos, alegando que o clero tradicional não tem jurisdição canônica. Existem várias maneiras de refutar esta posição. Alguns refutam afirmando que o clero tradicional tem jurisdição regular, outros aplicam o princípio da “epikeia” (equidade). “Epikeia” refere-se ao facto de que em caso de emergência e em casos não previstos pelo Direito Canônico, algumas regras não se aplicam. A Lei Canônica contém a lei humana e o legislador humano não pode prever tudo. Neste caso, aplica-se a Lei Divina: a “lei suprema é a salvação das almas”. Os “caseiros solitários” invertem a prioridade hierárquica da Lei Divina e da lei humana. Quanto a mim, prefiro dar prioridade à Lei Divina sobre a humana.

2 responses to “Controvérsias sedevacantistas? 

  1. Thiago Dezembro 4, 2021 às 7:44 am

    Irmão,

    Aqui vai um link de obras católicas:

    português/español
    livros/áudios

    https://t.me/+LTWsE-0kGMgwODIx

    Continue com o apostolado de teu pai, um abraço.

    Salve Maria!
    Viva Cristo Rei!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Novus Ordo Watch

Fátima e a Paixão da Igreja

%d bloggers like this: